Produtores de cerveja estão “chocados” com a subida do imposto sobre o álcool

A taxa sobre a cerveja, as bebidas espirituosas e os vinhos licorosos vai voltar a subir em 2018, em torno de 1,5%. A Associação Portuguesa de Produtores Cerveja critica a “insensibilidade do Governo perante um setor que contribui com mais de 1 bilião de euros para o VAB nacional”.

O imposto sobre a cerveja, as bebidas espirituosas e os vinhos licorosos vai voltar a subir, em torno de 1,5%, no próximo ano. A Associação Portuguesa de Produtores Cerveja (APVC) reagiu ao aumento da taxa sobre estas bebida e critica a “insensibilidade do Governo perante um setor que contribui com mais de 1 bilião de euros para o VAB nacional”.

“O setor cervejeiro nacional manifesta-se chocado com as notícias divulgadas de um aumento do imposto do álcool que incide de igual modo sobre a cerveja e sobre as espirituosas, deixando o imposto sobre o vinho inalterado”, disse o secretário Geral da APVC, Francisco Girio.

Ainda que o acréscimo tenha sido inferior ao que constava da proposta preliminar do Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), quando se falava numa subida de 3%, as cervejeiras não estão contentes com a ‘discriminação’ entre estas diferentes bebidas álcoolicas. “Este aumento é especialmente grave para o setor cervejeiro pois afeta todos produtores, incluindo os artesanais e microcervejeiros, que procuram consolidar o seu negócio e são profundamente penalizados com este aumento”, argumenta o porta-voz da associação.

Os produtores de cervejeira sentem uma “enorme frustação” perante a insensibilidade do Governo para com “um setor que contribui com mais de 1 bilião de euros para o VAB nacional, que exporta mais de 250 milhões de euros e que gera mais de 60 mil empregos diretos e indiretos”. A seu ver, o Executivo está a equipará-los ao setor das bebidas espirituosas “que, genericamente, é um setor  que não possui uma cadeia de valor significativa no país, nem contribui para o emprego nacional”.

Segundo uma versão preliminar da proposta de OE2018, e datada de 10 de outubro, a que a agência Lusa teve acesso, as cervejas vão passar a pagar um imposto que começa nos 8,34 euros por hectolitro para os volumes de álcool mais baixos e que vai até aos 29,30 euros por hectolitro no caso dos volumes de álcool mais elevados. Com a entrada em vigor do Orçamento do Estado de 2017, o imposto aplicado às cervejas começava nos 8,22 euros e ia até aos 28,90 euros por hectolitro, o que significa que, no próximo ano, o Governo quer aumentar imposto sobre a cerveja em cerca de 1,5%.

Recomendadas
BCP estabelece protocolo com Jovens Agricultores para financiar a agricultura
O BCP anunciou que vai “reforçar as soluções financeiras que têm vindo a ser desenvolvidas no apoio aos agricultores, e em particular aos jovens agricultores, quer seja pelo apoio financeiro na gestão da sua actividade corrente, através do financiamento das ajudas, quer através da antecipação de incentivos do PDR 2020.
BPI em parceria com a John Deere financia mais de 11 milhões em máquinas agrícolas
A administração do BPI destacou em comunicado que ”o setor agrícola é hoje mais dinâmico e apresenta um forte pendor inovador e mais ligação às universidades e centros de produção de conhecimento, o que o torna mais produtivo e competitivo”.
Sogrape compra Quinta do Centro para reforçar posição no Alentejo
A Sogrape adquiriu esta propriedade de 21 hectares, 13 hectares de vinha plantada, na sub-região de Portalegre, ao jornalista de vinhos britânico Richard Mayson, por um valor não divulgado.
Comentários