Professores voltam a não chegar a acordo com o Governo

“Vamos pedir uma nova reunião ao senhor Presidente da República, e vamos reunir os dez sindicatos para definir o plano de lutas que vamos desenvolver durante 2019”, disse o sindicalista.

Foto cedida

“O Governo não alterou nem uma vírgula à proposta de recuperar apenas dois anos, nove meses e 18 dias do tempo de serviço que esteve congelado”, disse Mário Nogueira da Fenprof que voltou a acusar o Governo de respeitar os professores e acrescentando que deste vez “desrespeitou também a Assembleia da República”.

Mário Nogueira, secretário-geral da Federação Nacional de Professores (Fenprof), falava à saída da reunião convocada pelo Ministério da Educação.

“Acabámos de sair da reunião mais absurda que se pode imaginar”, adiantou o líder da estrutura sindical.

Dez sindicatos de professores estiveram hoje reunidos com a secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, e com a secretária de Estado da Administração e do Emprego Público, Fátima Fonseca, para, mais uma vez discutir a recuperação do tempo de serviço da carreira docente que esteve congelado.

Mas o Governo mantém a proposta de recuperar apenas dois anos, nove meses e 18 dias dos nove anos, quatro meses de dois dias reivindicados pelos sindicatos dos professores.

“O que é que vamos fazer? Querem guerra, guerra terão. Vamos pedir de imediato uma reunião aos grupos parlamentares para levar esta mensagem: o Governo hoje também desrespeitou a Assembleia da República. Vamos pedir também uma nova reunião ao senhor Presidente da República, e vamos reunir os dez sindicatos para definir o plano de lutas que vamos desenvolver durante 2019”, disse o sindicalista.

Ler mais
Recomendadas

Espetáculo solidário pretende angariar fundos para ajudar famílias de crianças em tratamento hospitalar

“O melhor de Nós” é uma iniciativa da Clínica Sónia Costa em parceria com a Casa Ronald Macdonald, que acolhe de forma gratuita os familiares mais carenciados das crianças que se deslocam da sua área residência para tratamento no Centro Hospitalar de São João (CHUSJ) e no Instituto Português de Oncologia (I.P.O) do Porto.

Campo das Cebolas passa a ser Largo José Saramago. Alteração envolta em polémica

A alteração do nome não foi bem acolhida por todos. “Alterar a designação do Campo das Cebolas é um mau serviço à cidade e um mau serviço ao próprio José Saramago”, disse à TSF, João Pedro Costa, vereador do PSD na Câmara Municipal de Lisboa, que votou contra a alteração do nome.

Quanto vale uma música de Natal? Este tema vale mais de um milhão de euros por ano

“Merry Xmas Everybody”, da banda rock britânica “Slade” ocupa o primeiro lugar numa lista onde cabem entre outros, Mariah Carey, os Wham e Bing Crosby.
Comentários