Profissões do futuro: quais as saídas e as competências procuradas?

Será já no dia 17 de Junho às 17h00 que poderá ficar a entender as próximas transformações no mercado de trabalho e quais são os empregos do futuro, na JE editors Talks: Saídas Profissionais.

O mercado de trabalho está em revolução. Há empregos a desaparecer, novas carreiras a nascer e profissões que se reinventaram completamente. Esta era já a realidade anterior à pandemia, mas mais de um ano de confinamento veio acelerar ainda mais a transformação do mercado de trabalho.

Quais são os empregos do futuro? Que competências procuram as empresas? Em que tipo de formação vale a pena investir? Esta são apenas algumas das perguntas que estarão em cima da mesa na JE editors Talks: Saídas Profissionais, no dia 17 de Junho, às 17h00.

Nesta talk, que serve de complemento ao suplemento da edição desta semana do Jornal Económico (que pode ler aqui), estarão presentes a Católica Porto Business School, o ISEG Lisbon School of Economics & Management, o CENFIM e a Universidade Portucalense, que irão ajudar a desvendar quais as saídas profissionais do futuro.

Assista à JE editors Talks: Saídas Profissionais na próxima quinta-feira, 17 de junho, às 17h00 na JE TV e no Facebook e YouTube do Jornal Económico.

 

 

Este conteúdo foi produzido em colaboração com a Católica Porto Business School, ISEG Lisbon School of Economics & Management, CENFIM e Universidade Portucalense.

Recomendadas

Veja segunda-feira o webinar: O impacto do OE 2022 nas famílias

Conheça todas as medidas da proposta do Orçamento do Estado para 2022 e saiba como poderão afetar o seu orçamento pessoal e familiar.

Que papel terá a consultoria de gestão na recuperação?

A pandemia parece estar próxima do seu fim, mas as suas consequências vão continuar a fazer sentir-se. Que papel pode ter a consultoria neste novo ciclo será o tema da JE Brand Channel Talks. Assista esta tarde, às 15h00.

Pagamentos. “Há espaço para tornar o mercado mais competitivo”

A fintech myPOS pretende simplificar e democratizar o mercado dos pagamentos com soluções transversais aos diferentes canais, que não implicam mensalidades ou fidelizações e que sejam “uma autêntica ferramenta de gestão”.
Comentários