Programa de apoio da DGArtes vai incluir 45 entidades e 1,39 milhões de euros

A área de criação vai receber um apoio de 930 mil euros enquanto que a programação e desenvolvimento de público vai receber um apoio de 460 mil euros.

O programa de apoio a projectos da Direção-Geral das Artes (DGArtes) vai incluir 45 entidades e alocar uma verba de 1,39 milhões de euros.

A decisão final do concurso do Programa de Apoio a Projetos 2018, na área da Criação, publicada no ‘site’ da DGArtes com data de dia 09, sexta-feira, diz respeito a um montante de 930 mil euros, abrangendo 34 projetos, de outras tantas entidades, enquanto nos domínios da Programação e Desenvolvimento de Públicos, com um total de 460 mil euros, foram aprovados 15 projetos, apresentados por 15 diferentes candidatos.

Na Criação, o teatro é a área com maior número de projetos aprovados (15), seguindo-se cruzamento disciplinar (sete), dança (quatro), artes plásticas (três) e música (dois), antes de arquitetura, fotografia e novos media, cada uma com um projeto aprovado.

Na Programação e Desenvolvimento de Públicos, são apoiados 15 projetos, distribuídos por cruzamento disciplinar e música, com cinco cada, novos media, com dois, e artes plásticas, fotografia e teatro, com um projeto por área.

De acordo com a decisão final, homologada no passado dia 06, a área da Criação distribui 17 apoios no valor de 20 mil euros, nove, no valor de 30 mil, e oito de 40 mil euros.

“Verdade ou Consequência”, do Teatro Experimental do Porto, e “O Devir de Lisboa”, da Associação Artéria, ambos com 40 mil euros, “Tio Vânia”, dos Primeiros Sintomas, “Tarrafal – História de Um Campo de Concentração”, do fotógrafo João Pina, com 30 mil euros, e “Amores Pós-Coloniais”, da Liberdade Provisória, assim como a montagem da peça “Damas da Noite”, por Elmano Sancho, são alguns dos projetos aprovados na área da Criação.

O conjunto de atividades apoiadas envolve “exposições, concertos, espetáculos e residências artísticas, complementadas com oferta formativa, ciclos de conversas, palestras, debates, oficinas, edições”, em projetos de “temáticas relevantes e atuais de cariz social, cultural e político”, que privilegiam a “clara intenção de impacto social”, destaca a DGArtes.

“A forte componente de pesquisa teórica e experimentação” e a opção por “textos de dramaturgos raramente trabalhados” são outros fatores detscados

“E! Marionetas 2019”, das Marionetas da Mandrágora, com 20 mil euros, o Festival de Música de Portel, da Orquestra Costa Atlântica, com 30 mil euros, e a Bienal of Contemporary Arts, da associação BoCA, assim como os Encontros de Imagem, ambos com 40 mil euros, são alguns dos 15 projetos aprovados na área da Programação e de Desenvolvimento de Públicos.

Nesta disciplina, a DGArtes destaca “a diversidade na área da música”, as propostas em “novos media e a relação que se estabelecem entre arte, cultura, ciência e tecnologia” e o facto de as atividades a desenvolver, nos projetos apoiados, incluir ações como exposições, instalações, edição, concertos, espetáculos, residências artísticas, mas também iniciativas de inclusão social através das artes, ciclos de conversas, conferências, debates, ‘workshops’, ensaios abertos e a publicação de conteúdos ‘online’, ampliando audiências.

O Programa de Apoio a Projetos da DGArtes, nas áreas da Criação Artística e Programação e Desenvolvimento de Públicos, foi reforçado em setembro, num total de 290 mil euros, para 1,69 milhões de euros. Na área da Criação, o programa recebeu um reforço de 230 mil euros, e, na área de Programação, 60 mil euros.

O aviso de abertura dos concursos, no âmbito do Programa de Apoio a Projetos, foi feito em maio, com um valor global de 1,4 milhões de euros. Na altura foi também aberto concurso para a Circulação Nacional e Desenvolvimento de Públicos, no montante global de 300 mil euros, que não teve reforço, em setembro, e do qual ainda não foram publicados resultados.

Na sexta-feira, a DGArtes abriu candidaturas ao Programa de Apoio a Projetos – Procedimento Simplificado, nas áreas das Artes Performativas, Artes Visuais e Cruzamentos Disciplinares, para um apoio global de 50.000 euros, a repartir por um mínimo 400 euros a um máximo de cinco mil euros.

As candidaturas estão abertas até 23 de novembro.

Ler mais
Recomendadas

Terceira ponte sobre o Tejo volta a ser discutida 10 anos depois

A ponte anunciada por José Sócrates acabou por ser cancelada em 2010. Os custos foram então estimados entre 1,7 mil milhões e 1,9 mil milhões.

Com ou sem experiência. Azores Getaways está a recrutar recém licenciados

Empresa açoriana abriu 10 vagas na área da engenharia de software. As candidaturas estão abertas até ao dia 15 de agosto. Conheça as vagas que se pretende ocupar.

Infarmed dá ‘luz verde’ ao fármaco mais caro do mundo para tratar Matilde e outro bebé

Administração do medicamento para tratamento de atrofia muscular espinhal de tipo 1 (a forma mais grave) dependia de um pedido do hospital ao Infarmed e da respetiva autorização, que foi dada na semana passada.
Comentários