Programa de formação em turismo com participação de 30% dos municípios

O projeto de formação, desenvolvido pelo IPDT, é apoiado pelo Turismo de Portugal.

O Programa de Formação “ALA + T – Qualificar para o Turismo”, um programa nacional de capacitação turística que se inicia hoje, dia 21 de setembro, no Porto, vai contar, nesta primeira edição, com a participação de cerca de 30% dos municípios de todo o país, e conta entre os seus formandos com a presença de presidentes de câmara, vice-presidentes, vereadores e técnicos superiores, para além de quadros de várias comunidades intermunicipais.

“Este programa permitirá criar uma rede de técnicos especializados em turismo para promover o desenvolvimento turístico das zonas com menos tradição em termos de atividade turística, alargando cada vez mais o turismo a todo o território, um dos objetivos da Estratégia Turismo 2027”, esclarece um comunicado Ministério da Economia.

O projeto de formação, desenvolvido pelo IPDT, é apoiado pelo Turismo de Portugal.

Capacitar a Administração Local Autárquica para o turismo e potenciar o turismo local e regional enquanto fator de desenvolvimento económico, de preservação ambiental, de valorização cultural e de bem-estar social são os objetivos deste programa, que decorre em regime ‘b-learning’ e tem a duração de 65 horas presenciais, acrescidas de acompanhamento ‘online’ em plataforma desenvolvida para o projeto.

O seminário de abertura do programa tem lugar na Escola do Turismo de Portugal (TdP) Porto, nos dias 21 e 22 de setembro, contando com a presença do presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo.

Repartidas por estes dois dias, terão lugar as intervenções de vários especialistas nacionais e internacionais de renome como Robert Maitland, Richard Butler, David Simmons, Paulo Águas ou Alfonso Vargas Sánchez.

As ‘Master Classes’ subsequentes serão da responsabilidade de quadros dirigentes do Turismo de Portugal, e irão decorrer durante os meses de outubro e novembro nas Escolas do Turismo de Portugal: Lamego, Coimbra, Estoril, Portalegre e Faro.

“Em análise estarão temas como a capacitação dos destinos, estruturação de produtos turísticos, captação de investimento, dinamização de redes locais, ‘marketing’ territorial e digital, inovação em turismo, mercados, produção de conteúdos, bem como instrumentos de apoio ao turismo”, adianta o referido comunicado.

Para a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, este programa “é um primeiro passo para criar uma rede de técnicos de turismo em todo o país envolvendo câmaras, entidades regionais de turismo e Turismo de Portugal e para capacitar cada vez mais os municípios para criarem condições de atratividade e de estruturação de oferta, promovendo cada vez mais o alargamento do turismo de forma sustentável ao longo do território e ao longo do ano. É um sinal muito positivo a adesão significativa de quase uma centena de municípios a este programa”.

Por seu turno, o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo considera que “este programa de formação contribui para responder aos maiores desafios do setor na atualidade: desde logo, a manutenção do crescimento, mas levando o turismo a todo o território e ao longo de todo o ano”.

“Um outro desafio tem que ver com a formação dos recursos: hoje, cerca de 60% das 350 mil pessoas que trabalham no setor têm o ensino básico e, para continuarmos a ser um dos destinos mais competitivos do mundo, temos que inverter esta situação e fazer com que esses 60% tenham pelo menos o ensino secundário e técnico-profissional”, sublinhou Luís Araújo.

O presidente do TdP acrescentou que “a digitalização de toda a cadeia de valor é também um desafio determinante para o nosso sucesso: seja na perspetiva da captação de turistas e presença nos mercados internacionais, na perspetiva da atividade empresarial ou até mesmo na ótica da experiência do turista em Portugal”.

“A digitalização permitirá às empresas um maior e melhor acesso a informação, o desenvolvimento de práticas e atividades inovadoras e, consequentemente, melhores desempenhos e uma maior criação de valor”, concluiu Luís Araújo.

Ler mais
Recomendadas

Calçado vegan? Sim, também já há

Uma empresa da Póvoa de Lanhoso considera que nem mesmo uma indústria tradicional como o calçado precisa de recorrer a produtos que, do ponte de vista da sustentabilidade, não fazem sentido.

Crédito Agrícola elege nova administração a 25 de maio

A Caixa Central de Crédito Agrícola é responsável pela coordenação e supervisão das 80 Caixas de Crédito Agrícola Mútuo e é liderada por Licínio Pina desde 2013, há dois mandatos. O gestor trabalha no banco há mais de 30 anos.

Empresas começam projetos de inovação mas não conseguem acabar mais de metade

O excesso de projetos, a falta de liderança e a ausência de processos estão a bloquear o desenvolvimento das organizações mundiais, segundo o estudo “Having a successful innovation agenda”, elaborado pela multinacional Oracle.
Comentários