Proposta do Bloco para recalcular valor das pensões poderá custar 200 milhões

O recalculo faz parte de uma das nove propostas do partido para viabilizar o Orçamento do Estado para 2022. De acordo com o “Diário de Notícias”, medida poderá ter um impacto orçamental de 200 milhões de euros.

A proposta do Bloco de Esquerda para recalcular o valor das pensões poderá ter um impacto orçamental anual na ordem dos 200 milhões de euros, isto de acordo com as estimativas do partido, citada esta quarta-feira pelo “Diário de Notícias” (DN).

O recalculo faz parte de uma das nove propostas do partido para viabilizar o Orçamento do Estado para 2022, mas tanto o primeiro-ministro como o ministro das Finanças não têm dado sinal de que vão ceder. Feitas as contas, a medida irá custar mais do dobro dos 86 milhões de euros que custa aumentar as pensões mais baixas (até 658 euros) em dez euros a partir de agosto, o que está previsto na proposta do Governo.

Nas propostas para a área da Segurança Social, o Bloco pretende ainda que sejam reformuladas as regras aplicadas na chamada idade pessoal de reforma, que atualmente asseguram bonificações àqueles que acedem à aposentação após a idade legal de reforma. O objetivo é que cada ano de trabalho além dos 40 anos de carreira permita reduzir a idade de aposentação em um ano, prevendo-se ainda reduções em seis meses para trabalhadores por turnos e que poderão ser maiores para trabalhadores com graus de incapacidade elevados.

 

Recomendadas

Covid-19. África do Sul ultrapassa três milhões de infeções

A África do Sul, que detetou a nova variante Ómicron e está a entrar na quarta vaga da pandemia, com um aumento exponencial de novas infeções, ultrapassou esta sexta-feira os três milhões de infeções pelo coronavírus SARS-CoV-2, segundo números oficiais.

Portugal regista mais 2.535 casos positivos e 21 mortes por Covid-19

Nas últimas 24 horas, foram retiradas 14 pessoas em enfermaria, para um total de 902. Nos cuidados intensivos foi colocado mais um doente (129 no total).

OMS diz que medidas aplicadas para travar variante Delta devem funcionar com Ómicron

O diretor regional da OMS para o Pacífico Ocidental alertou ainda que “enquanto a transmissão continuar, o vírus pode continuar a sofrer mutações”.
Comentários