PróToiro critica OE2019 de “censura cultural” perante fim da isenção de IVA para artistas taurinos

A Federação Portuguesa de Tauromaquia repudia ”veemente” as propostas “ilegais e discriminatórias” presentes na proposta orçamental para o próximo ano. A entidade critica, por exemplo, que o IVA das touradas se mantenha nos 13% quando o de outras atividades culturais baixa para 6%.

Foto Agência EFE

A PróToiro – Federação Portuguesa de Tauromaquia acusou esta quinta-feira o Partido Socialista (PS) de apoiar as medidas do PAN e do Bloco de Esquerda (BE) relativamente ao fim da isenção do IVA dos artistas taurinos e à exclusão da descida do IVA nos bilhetes dos espetáculos tauromáquicos. A organização repudia o facto de que o IVA das touradas se mantenha nos 13% quando o de outras atividades culturais baixa para 6%.

No comunicado enviado às redações, a federação lamenta as propostas “ilegais e discriminatórias” presentes no Orçamento de Estado 2019 (OE), que têm como objetivo ”a censura cultural’, explicando ainda que apenas existe uma isenção do IVA sobre a prestação de serviços mas, ainda assim, ”muitos toureiros pagam IVA apesar da possibilidade de recorrerem à isenção, uma vez que executam os seus serviços artísticos a partir de sociedades empresariais e não através da prestação de serviços.”

Toureiros, empresários e municípios já se manifestaram contra a discriminação do PAN e BE, apoiada pelo PS, e prevêem-se mais protestos. A PróToiro sublinha que a tauromaquia é uma ”atividade cultural” pois “é, nas suas diversas manifestações, parte integrante do património da cultura popular portuguesa” e alerta que a aplicação de uma taxa de 13% aos serviços culturais ”coloca em causa os valores fundamentais integrados no direito à Cultura, de acordo com os artigos 73.º e seguintes da Constituição da República Portuguesa”.

A PróToiro refere também que, no passado mês de janeiro, em reunião com o Ministério da Cultura – que agora tem Graça Fonseca como ministra, em substituição de Castro Mendes -, a PróToiro reivindicou a descida do IVA cultural para 6%, pelo que se manifesta “chocada e indignada com as propostas discriminatórias contra a Tauromaquia”. A federação sublinha que ”tudo fará para que as mesmas não sejam aprovadas na votação do orçamento na especialidade.”

Relacionadas

“Pena não terem morrido todos”. ‘Tweet’ polémico de humorista britânico visa forcados portugueses

“Repugnante crueldade animal. Pena de não terem morrido todos”, escreveu o reconhecido humorista britânico, Ricky Gervais.

Fidelity: ‘Touros’ começam a rondar o mercado de dívida dos EUA

Diretor de investimento da Fidelity International considera que é o “momento oportuno” para os investidores rever as exposições ao risco e aumentar a qualidade média do portefólio antes que a maré vire.

Movimento contesta decisão de proibir touradas na Póvoa de Varzim

O grupo de cidadãos, que diz reunir “aficionados e amigos, da tauromaquia, poveiros e não só”, considerou que a decisão da câmara foi tomada “à pressa, sem discussão pública, sem qualquer séria fundamentação social, sem respeito pela memória, tradição e história da Póvoa”.
Recomendadas

Folclore português é património histórico e cultural imaterial do Rio de Janeiro

O folclore português “e todas as suas manifestações artísticas” foram declarados património histórico e cultural imaterial deste estado brasileiro, com vista à preservação da cultura e da memória portuguesa.

Já pode conhecer o Museu da Água através de uma aplicação móvel

A EPAL anunciou a disponibilidade de uma aplicação (iOS/Android) que permite conhecer com mais detalhe os monumentos do Museu da Água: o Aqueduto das Águas Livres, o Reservatório da Mãe D´Água das Amoreiras, a Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos e o Reservatório da Patriarcal.

Guta Moura Guedes à frente da Associação Comporta Futuro

A ideia é que Guta Moura Guedes, dinamizadora do Experimenta Design, traga o seu know-how e contactos para dinamizar e internacionalizar a produção cultural de região.
Comentários