PS quer resposta “urgente e adequada” às altas problemáticas na Madeira

Os socialistas defendem investimento nos cuidados continuados e em estruturas que permitam dar resposta às altas problemáticas, e pedem ainda articulação entre as áreas da Saúde e da Segurança Social.

O PS Madeira mostrou preocupação com o estado das altas problemáticas, na Madeira, uma situação à qual os socialistas madeirenses exigiram uma resposta urgente e adequada.

“As poupanças obtidas na Saúde ao transferir os casos de altas problemáticas para a Segurança Social permitiriam dar respostas mais eficazes aos idosos e às suas famílias e haver poupanças no Orçamento Regional”, disse Sofia Canha, deputada do PS Madeira.

Os socialistas recorrem a dados do governo para alertar para os cerca de 600 casos de altas problemáticas, que custam 40 milhões de euros, por ano, do Orçamento Regional para a Saúde.

Para dar resposta a esta situação Sofia Canha defende investimento “nos cuidados continuados e em estruturas adequadas”, num trabalho articulado entre a Saúde e dos Assuntos Sociais, e ainda “em estruturas residenciais concelhias para idosos dimensionadas à resposta local”, e ainda proporcionar “condições financeiras aos cuidadores não formais para acompanhamento no domicílio aos seus familiares”.

Sofia Canha afirmou ainda que o PS não vai deixar de falar de saúde. “Não é porque este tema incomoda o PSD que vamos deixar de falar nos problemas que mais afetam os madeirenses e os porto-santenses”, reforçou a socialista.

“Enquanto as pessoas não tiverem a resposta por parte do Governo, o PS vai continuar a trazer para o debate público as questões da saúde e tudo aquilo que é preciso resolver, mesmo que seja incómodo para o PSD e para o Governo”, realçou.

Ler mais
Recomendadas

Rui Rio diz que o Governo socialista engana permanentemente os portugueses

“O grande engano é quando nos vendem uma situação económica de quase milagre económico e depois todos descobrimos que não pode fazer isto e aquilo porque não têm meios”, disse Rui Rio, no encerramento do XVII Congresso do PSD/Madeira, no Funchal, em que Miguel Albuquerque foi reeleito presidente.

“Trabalhar na hotelaria não é sexy”, defende gestor hoteleiro

Num painel sobre formação em turismo, André Barreto, gestor hoteleiro e economista, explicou que “não está na moda” por exemplo ser recepcionista enquanto que outras áreas do turismo como barman e cozinheiro têm ganho outro destaque.

Dívida Pública da Madeira cresce 3,6% do segundo para o terceiro trimestre de 2018

No ano de 2017 a dívida registou o valor mais alto dos últimos 10 anos. A dívida apresentou uma subida de 5,8% entre o segundo trimestre de 2017 e 2018.
Comentários