PS quer resposta “urgente e adequada” às altas problemáticas na Madeira

Os socialistas defendem investimento nos cuidados continuados e em estruturas que permitam dar resposta às altas problemáticas, e pedem ainda articulação entre as áreas da Saúde e da Segurança Social.

O PS Madeira mostrou preocupação com o estado das altas problemáticas, na Madeira, uma situação à qual os socialistas madeirenses exigiram uma resposta urgente e adequada.

“As poupanças obtidas na Saúde ao transferir os casos de altas problemáticas para a Segurança Social permitiriam dar respostas mais eficazes aos idosos e às suas famílias e haver poupanças no Orçamento Regional”, disse Sofia Canha, deputada do PS Madeira.

Os socialistas recorrem a dados do governo para alertar para os cerca de 600 casos de altas problemáticas, que custam 40 milhões de euros, por ano, do Orçamento Regional para a Saúde.

Para dar resposta a esta situação Sofia Canha defende investimento “nos cuidados continuados e em estruturas adequadas”, num trabalho articulado entre a Saúde e dos Assuntos Sociais, e ainda “em estruturas residenciais concelhias para idosos dimensionadas à resposta local”, e ainda proporcionar “condições financeiras aos cuidadores não formais para acompanhamento no domicílio aos seus familiares”.

Sofia Canha afirmou ainda que o PS não vai deixar de falar de saúde. “Não é porque este tema incomoda o PSD que vamos deixar de falar nos problemas que mais afetam os madeirenses e os porto-santenses”, reforçou a socialista.

“Enquanto as pessoas não tiverem a resposta por parte do Governo, o PS vai continuar a trazer para o debate público as questões da saúde e tudo aquilo que é preciso resolver, mesmo que seja incómodo para o PSD e para o Governo”, realçou.

Ler mais
Recomendadas

Candidatura do Porto Santo a Reserva da Biosfera já entrou em período de auscultação pública

Antes da data de 22 de abril está prevista uma sessão de esclarecimento dos documentos disponíveis.

Governo Regional acusa vereadora do Funchal de “distracção ou falta de vontade política” sobre Parque Ecológico

A vereadora Idalina Perestrelo tinha apelado a que o executivo regional realizasse uma intervenção na zona do tampão verde de modo a prevenir os incêndios. O Governo Regional respondeu dizendo que tem feito esse trabalho através da faixa corta-fogo, da plantação de plantas no Pico dos Esteios, do projecto florestal para o Montado da Esperança, para além da reflorestações que têm sido feitas.

Rafael Macedo acusa alguns colegas de “forte neglicência” e de fornecerem tratamentos não adequados

O coordenador da unidade de medicina nuclear disse ainda que alguns serviços do Serviço Regional de Saúde funcionam “muito mal”.
Comentários