PSD: Líder da distrital de Setúbal diz que “não houve bom senso nem equilíbrio” na escolha das listas

O líder da distrital de Setúbal, Bruno Vitorino, diz que o presidente do PSD condenou o partido a “um triste espetáculo” e acusa Rui Rio de não ter respeitado as estruturas distritais do partido.

O líder da distrital de Setúbal, Bruno Vitorino, que se excluiu das listas do PSD em protesto contra a liderança de Rui Rio, afirmou esta terça-feira que “não houve bom senso nem equilíbrio” na escolha das listas dos candidatos a deputados. Bruno Vitorino disse que o presidente do PSD condenou o partido a “um triste espetáculo” e acusa Rui Rio de não ter respeitado as estruturas distritais do partido.

“Andámos entretidos durante meses a dar um triste espetáculo ao país, onde falamos só de nomes, porque não houve bom senso nem equilíbrio na relação entre a estrutura nacional e as distritais, o respeito que se tem de ter por estas estruturas e pelas pessoas”, afirmou Bruno Vitorino, à entrada para a reunião do Conselho Nacional, que se realiza esta noite, em Guimarães.

Bruno Vitorino considerou ainda que “bastava terem respeitado os estatutos e terem tido um bocadinho de bom senso” na escolha dos candidatos a deputados. “Vamos chegar aqui e discutir linhas programáticas que não sabemos quais são, um processo que eu também nunca tinha visto. Como é que se pede aos conselheiros nacionais para ficarem vinculados a um documento que não conhecem ou que talvez vão conhecer agora durante a reunião?”, criticou, lembrando outros líderes como Pedro Passos Coelho e Durão Barroso, que “souberam unir o partido”.

Já antes Bruno Vitorino tinha afirmado, em entrevista ao ‘Público’, que “o ambiente no PSD está de cortar à faca”. “Rui Rio está a esfrangalhar o partido em alguns distritos e essa é uma das questões que lhe quero colocar no Conselho Nacional”, afirmou na altura.

Para encabeçar a lista do PSD por Setúbal, Rui Rio convidou o atual vereador da Câmara Municipal de Setúbal Nuno Carvalho. Outro deputados que foram eleitos nesta legislatura, como Maria Luís Albuquerque (eleita pelo círculo de Setúbal), foram excluídos das listas, por indicação de Rui Rio, o que não agradou à distrital.

O Conselho Nacional do PSD vai aprovar as listas de candidatos sociais-democratas a deputados na Assembleia da República, por mão no ar. Entre renovação e a exclusão de críticos da atual direção, o grupo parlamentar do PSD que sairá das legislativas de outubro, deve contar com apenas um terço dos atuais deputados. Os restantes dois terços deixam o Parlamento.

Recomendadas

“Lisboa estava em sentada em tanto dinheiro de impostos que nem sabia o que lhe fazer”, realça candidato da IL a Lisboa

Na última edição do programa “Primeira Pessoa, da plataforma multimédia JE TV, Bruno Horta Soares considera que é importante estancar o aumento de trabalhadores na Câmara Municipal de Lisboa e diminuir os “10 a 12 milhões em avenças e os 13 milhões em horas extraordinárias”.

Portugal concede terceira moratória a Cabo Verde para o pagamento da dívida

O anúncio foi feito esta pelo Governo que aprovou uma nova suspensão do pagamento do serviço da dívida por parte da República de Cabo Verde, relativa aos empréstimos diretos concedidos.

Bloco de Esquerda pede “força suficiente” em Almada para um “acordo à esquerda”

Catarina Martins – acompanhada pela recandidata e vereadora à Câmara de Almada, Joana Mortágua – desembarcou nesta estação de metro, vinda do centro da cidade, onde fixou, em declarações aos jornalistas, metas do partido para uma das disputas eleitorais autárquicas mais mediáticas.
Comentários