PSD Madeira marca festa do Chão da Lagoa para 29 de julho

Entre as conclusões da comissão política esteve um manifestar de preocupação pela falta de vontade da República em resolver dossiers como o financiamento do Novo Hospital, a revisão do subsídio de mobilidade, e os juros da dívida.

Ler mais

A comissão política do PSD Madeira reuniu-se na passada segunda-feira. Entre as conclusões da reunião esteve a marcação da festa do Chão da Lagoa para 29 de julho. Foi feita também uma referência à aprovação na Assembleia da República do projeto de resolução referente aos BANIF e ao BES.

Esta reunião felicitou Rui Rio como novo presidente do PSD e relevado “o clima de recuperação económica e social” na Região e a “diminuição do desemprego”.

Entre as conclusões esteve também o Orçamento e o PIDDAR para 2018 onde a comissão política destaca “a reposição dos rendimentos das famílias”, a “redução da carga fiscal”, a “promoção do investimento” e a “solidificação das políticas sociais”.

A comissão política manifestou também preocupação “pela falta de vontade política da República em resolver as questões pendentes” em dossiers como “o financiamento do Novo Hospital”, “a revisão do Subsídio de Mobilidade”, “os juros da dívida”, “as dívidas dos subsistemas de saúde”, “a equidade entre a Madeira e os Açores nas verbas transferidas para a Segurança Social”.

Na reunião foi nomeado nesta reunião Francisco Santos como presidente do Gabinete de Estudos e Relações Externas do PSD/Madeira.

 

Recomendadas

25 casas do povo abrangidas por contrato programa na Madeira

O conselho de governo celebrou ainda um contrato-programa como a Investimentos Habitacionais da Madeira, como comparticipação financeira, no valor de 500 mil euros.

Emanuel Santos cria novo busto de Cristiano Ronaldo

Nova obra do escultor madeirense ainda não tem destino e visa expressar a admiração pelo internacional português.

Três novas ambulâncias asseguram transporte de doentes em 4 municípios da Madeira

Em 2017, o Serviço Regional de Saúde da Madeira transportou mais de 130 mil doentes não urgentes.
Comentários