PSD pede audição da ministra da Justiça sobre motim na prisão de Lisboa

No texto, a bancada social-democrata recordou que em fevereiro se registaram distúrbios no EPL, causados pelo “encurtamento do período de visitas” devido aos novos horários do Corpo da Guarda.

Cristina Bernardo

dunemO PSD pediu esta quarta-feira a audição da ministra da Justiça, no parlamento, sobre o motim de terça-feira no Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL), que considera ser “um corolário da falência” no sistema prisional.

O “motim é mais um corolário da falência que se vive no sistema prisional no qual há um descontentamento generalizado” dos “agentes, guardas prisionais e reclusos” a que o Governo “tem sido incapaz de dar resposta”, lê-se no texto do requerimento entregue pelo PSD à comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

No texto, a bancada social-democrata recordou que em fevereiro se registaram distúrbios no EPL, causados pelo “encurtamento do período de visitas” devido aos novos horários do Corpo da Guarda.

A situação “não só não melhorou desde então, como se agravou”, razão pela qual exige que a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem dê explicações aos deputados da comissão de Assuntos Constitucionais.

Apesar de distribuído, o requerimento não foi nem discutido nem votado na reunião de hoje, de acordo com as regras da comissão.

Na terça-feira, o Grupo de Intervenção de Segurança Prisional (GISP) foi chamado ao Estabelecimento Prisional de Lisboa devido a desacatos na Ala B do edifício.

O diretor-geral dos Serviços Prisionais explicou à Lusa que os cerca de “160 a 170” reclusos daquela ala se revoltaram por não terem tido visitas na terça-feira, como estava previsto, e amotinaram-se com gritos, colchões e papéis queimados e algum material partido, obrigando a “usar a força” por parte do Corpo da Guarda Prisional.

Segundo Celso Manata, estes desacatos deveram-se também ao facto de, finalizada a greve de quatro dias dos Guardas Prisionais, o Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP), que convocou a paralisação, ter marcado um plenário para hoje, inviabilizado novamente as visitas.

Ler mais
Relacionadas

Grupo de Intervenção chamado por desacatos no Estabelecimento Prisional de Lisboa

Alegados desacatos ocorrem numa altura em que decorre o último de quatro dias de greve dos Guardas Prisionais e que rondou uma adesão de cerca de 80%.

Portugal tem demasiados reclusos, conclui relatório sobre prisões na Europa

Entre 2005 e 2015, os países que tiveram um maior crescimento da taxa de população reclusa foram a Albânia (109,3 para 207,2), Geórgia (200,6 para 274,6), Lituânia (233,4 para 277,7), a antiga República jugoslava da Macedónia (104,8 para 168,9), Montenegro (134,5 par 176,8) e Turquia (75,8 para 220,4).
Recomendadas

Galpgate. Ex-secretários de Estado poderão ser acusados no âmbito das viagens ao Euro 2016

A juíza Cláudia Pina, do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, recusou o pedido de suspensão provisória do processo. O processo-crime contra os ex-secretários de Estado, Rocha Andrade, João Vasconcelos e Jorge Costa Oliveira e contra o ex-assessor de António Costa e poderão ser acusados pelo crime de recebimento indevido de vantangem.

Colômbia multa brasileira Odebrecht em cerca de 222 milhões de euros por atos de corrupção

Um tribunal colombiano multou na quinta-feira a construtora brasileira Odebrecht em cerca de 222 milhões de euros e proibiu-a de celebrar contratos com entidades oficiais durante dez anos devido aos atos de corrupção cometidos naquele país.

Ex-administrador do BES quer que BdP e KPMG indemnizem Estado em 4,3 mil milhões de euros

O ex-administrador financeiro do BES Amílcar Morais Pires vai entrar esta sexta-feira com uma ação popular contra o Banco de Portugal (BdP) e a KPMG, para pedir que indemnizem o Estado em 4,3 mil milhões de euros.
Comentários