PSD questiona necessidade de criar uma Polícia Municipal no Funchal

Os sociais democratas questionam se esta não será mais uma maneira de sobrecarregar os munícipes com multas e taxas. O PSD defende que existem necessidades mais urgentes que precisam de ser resolvidas no município.

O PSD expressou apreensão perante a criação de uma Polícia Municipal no Funchal e questiona qual é a necessidade de se ter uma força de segurança deste género no Município. Os sociais democratas indagam se esta não será mais uma forma da Autarquia sobrecarregar os seus munícipes com mais multas e coimas.

“O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, começou por secundarizar o papel da Polícia de Segurança Pública (PSP), relegando esta instituição para as funções de segurança apenas, sabendo que as funções de fiscalização, de controlo e de acompanhamento seriam realizadas pela Polícia Municipal”, afirmou Jorge Vale Fernandes, vereador do PSD na autarquia do Funchal.

O social democrata diz que existem “necessidades mais urgentes” que necessitam de ser resolvidas no município que vão para além da Polícia Municipal.

Os custos da Polícia Municipal são outra preocupação levantada pelo social democrata.

“Só as instalações de uma Polícia Municipal custarão pelo menos 1 Milhão de Euros. A estes custos acrescerão, no futuro, outros de manutenção, de operação e de pagamento de salários”, alertou.

Jorge Vale Fernandes quer também saber o que será feito com os funcionários do Município que já realizavam funções de fiscalização. Os sociais democratas expressam cautela perante a criação da Polícia Municipal e dizem que já solicitaram os estudos que foram realizados pela Autarquia mas que até ao momento não foram disponibilizados.

Ler mais
Recomendadas

Altice garante que não vai investir sozinha na criação de novos cabos submarinos

Alexandre Fonseca critica a postura do regulador das telecomunicações, a ANACOM, por uma “redução sucessiva nos custos do CAM (Continente-Açores-Madeira – cabo submarino), que hoje, comparativamente há três anos, foi de 87%”.

Os ginásios e a “famosa” fidelização

Não se deixe iludir por promoções ou outro tipo de ofertas. Veja se são verdadeiramente vantajosas ou se contêm alguma “armadilha”. Pagando um ano logo à partida, analise as condições de reembolso caso tenha necessidade de desistir a meio.

Contratos ‘swap’ de 2008 da Câmara do Funchal lesaram autarquia em quase 1 milhão de euros, segundo o TdC

Esta é uma das conclusões de uma auditoria do Tribunal de Contas (TdC), hoje divulgada e que tinha sido solicitada pela vereação do atual presidente, Paulo Cafôfo (eleito pela coligação Mudança, em 2013, formada por PS/BE/PTP/MPT/PAN, e, em 2017, pela coligação Confiança – PS/BE/PDR/Nós, Cidadãos!), ao endividamento do município.
Comentários