PSI 20 negoceia no verde contrariando Europa

O principal índice bolsista português soma 0,08%, para 5.113,01 pontos na sessão desta quarta-feira.

O principal índice bolsista português (PSI 20) soma 0,08%, para 5.113,01 pontos, em contraciclo com as principais congéneres europeias nesta quarta-feira, 15 de maio.

Em Lisboa, os títulos dos CTT lideram os ganhos e destacam-se por negociarem sob forma de ex-dividendo (0,10 euros). A empresa cotada, que passa a ser liderada por João Bento a partir do dia 22 de maio, soma 1,49%, para 2,18 euros.

A contribuir para que o PSI 20 se mantenha no verde, estão as valorizações de Corticeira Amorim (1,18%), Pharol (1,15%), Jerónimo Martins (0,59%) e Sonae SGSPS (0,74%).

As atenções da sessão poderão recair sobre a Sonae SGPS, uma vez que a retalhista apresenta resultados relativos ao primeiro trimestre de 2019 após o fecho do mercado. O Caixa BPI Research estima que entre janeiro e março a holding tenha registado um crescimento de 9%, para 1.456 milhões de euros, nas suas receitas face ao período homólogo. O resultado líquido terá crescido 36%, para 27 milhões de euros.

Também a Semapa poderá ter a atenção dos investidores. A papeleira também apresenta resultados trimestrais esta quarta-feira, com o Caixabank BPI Research a prever vendas na ordem dos 554 milhões de euros, valor que representa um crescimento anual de 9%. o EBITDA ter-se-á mantido inalterado face a 2018, em 130 milhões de euros, enquanto o resultado líquido deverá ter decrescido 9%, para 25 milhões de euros.

Em contraciclo, o grupo EDP, Galp travam os ganhos do PSI 20.

[Dados das 8h21]

Ler mais
Recomendadas

Wall Street fecha semana a subir animado com tréguas na ‘guerra tecnológica’

Wall Street recuperou das perdas de quinta-feira. Declarações do presidente norte-americano sobre a possibilidade da Huawei poder ser incluída no acordo entre EUA e China relativamente à ‘guerra comercial’ animou os investidores.

Fitch mantém rating de Portugal, mas sobe perspetiva para ‘positiva’

Agência de notação financeira norte-americana manteve o ‘rating’ de Portugal no segundo grau de investimento, mas subiu o ‘outlook’, destacando a trajetória de diminuição do rácio da dívida pública face ao PIB e a diminuição do défice. Resultados das eleições legislativas de outubro não se deverão traduzir em “desvios das atuais políticas orçamentais”, antecipa.

‘May Day’ puxa pelas bolsas da Europa. Lisboa não foi exceção

No Reino Unido, confirmou-se o cenário de demissão de Theresa May, que deixa o cargo de Primeira-ministra no dia 7 de junho.  O FTSE 100 subiu 0,65% para 7.277,73 pontos. Por cá o PSI 20 fechou a subir 0,78% para 5.097,28 euros impulsionado pelas ações da EDP; da Sonae; pela REN; pela Jerónimo Martins e pelo BCP.
Comentários