PSI 20 tomba mais de 6%. Todas as cotadas negoceiam no ‘vermelho’

Praça lisboeta encontra-se a cair 6,47%, para 3.589,14 pontos a meio da manhã desta segunda-feira, seguindo a tendências das suas congéneres europeias.

O principal índice bolsista português, PSI 20, encontra-se a meio da manhã desta segunda-feira, a desvalorizar 6,47%, para 3.589,14 pontos, com todas as cotadas nacionais a negociarem nesta altura em terreno negativo, seguindo a tendência das suas congéneres europeias.

“A bolsa nacional continuará a depender exclusivamente da evolução da conjuntura internacional”, apontam os analistas do BPI.

A fazer tombar o PSI 20 estão entre as principais cotadas portuguesas está o BCP, que cai 10,42%, para 0,10 euros, a EDP Renováveis, que desce 9,25%, para 9,42 euros e a Altri, que desce 9,48%, para 2,98 euros, depois de na sexta-feira, 13 de março, ter apresentado os resultados relativos ao quarto trimestre de 2019. A empresa informou que “em termos operacionais, o quarto trimestre de 2019 ficou marcado por uma tendência de redução dos preços de venda, quer em dólares, quer em euros”. Os lucros caíram 48%, para 100 milhões de euros, e as vendas atingiram os 171.3 milhões de euros, o que representa um decréscimo de 14.8% face ao mesmo período do ano anterior.

Em terreno negativo encontram-se também a F. Ramada que desce 11,82%, para 3,06 euros, os CTT, que depreciam 9,03%, para 1,75 euros, no dia em que a operadora postal apresenta resultados depois do fecho da sessão bolsista, sendo que segundos os analistas que acompanham a empresa, os CTT poderão apresentar lucros de 32,3 milhões de euros.

A cair está também a Navigator (8,78%), para 1,89 euros, a Sonae Capital, que desce 7,84%, para 0,47 euros e a Ibersol que é neste altura a cotada que mais desvaloriza (13,23%), para 5,38 euros.

As bolsas europeias seguem “em queda expressiva, depois da FED ter feito mais um corte extraordinário nas taxas de juro, desta feita para zero, e anunciado um pacote de estímulos.  Os futuros sobre os principais índices de ações norte-americanos também apontam para uma queda na ordem dos 5% depois de na passada sexta-feira Wall Street ter valorizado cerca de 10%”, refere Ramiro Loureiro, analista de mercados do millenium investment banking.

Na Europa as cotadas continuam a negociar no ‘vermelho’. Na Alemanha, o DAX desce 8,51%, no Reino Unido, o FTSE 100 deprecia 7,09%, o francês CAC 40 desvaloriza 9,91%, o holandês AEX cai 8,28%. Em Espanha, o IBEX35 desvaloriza 10,19% e o italiano FTSE MIB desce 9,09%.

A cotação do barril de Brent desvaloriza 10,52%, com valor de 30,28 dólares, enquanto a cotação do crude WTI desce 8,03%, para 29,53 dólares por barril.

No mercado cambial o euro valoriza 0,62%, para 1,11 dólares.

Ler mais

Recomendadas

Wall Street fecha mista com aumento do desemprego

A avalanche de dados macroeconómicos justifica a fraca performance da bolsa. Os dados do emprego semanal dão uma subida dos pedidos de subsídio de desemprego no país pela segunda semana consecutiva, até os 778 mil, muito pior do que o esperado pelo consenso do mercado. Isto pode deixar marcas persistentes no mercado laboral dos Estados Unidos.

CMVM tomou 22 decisões de contraordenação algumas das quais originam coimas que somam 700 mil euros

Na base das decisões da CMVM estão 11 processos relacionados com infrações por violação de deveres dos auditores; cinco processos por violação dos deveres dos intermediários financeiros; três processos por violação de deveres das entidades responsáveis pela gestão de Organismos de Investimento Colectivo; entre outros. A maioria das coimas aplicadas está suspensa.

Bolsa de Lisboa fecha com subida superior a 1%

CTT, EDP Renováveis e BCP subiram mais de 2%. As ações da tecnológica Novabase, que divulgou esta tarde ao mercado o Plano para a Igualdade de Género e Diversidade, caíram 0,61% para 3,27 euros.
Comentários