PSI20 fecha semana na linha de água

Entre as 18 cotadas que integram o PSI20, nove negociaram em terreno negativo e nove terreno positivo. Corticeira Amorim liderou quedas, enquanto o BCP registou os maiores ganhos, um dia depois do banco liderado por Miguel Maya ter divulgado resultados até setembro.

O principal índice bolsista português encerrou a última sessão da semana a perder 0,01% para 5.020,43 pontos, com nove cotadas a negociar em terreno positivo e nove a negociar em terreno negativo.

Entre as 18 cotadas que integram o PSI20, a maior queda da sessão foi a Corticeira Amorim, ao perder 2,72% para 9,64 euros. No setor energético, a EDP caiu 2,14% para 3,1100 euros, enquanto a Galp perdeu 1,20% para 14,7750 euros.

A liderar os ganhos esteve o BCP, que avançou 3,80% para 0,26 euros, um dia depois do banco liderado por Miguel Maya ter divulgado resultados até setembro. Também a Pharol ganhou 2,65% para 0,1704 euros.

No resto da Europa, Londres perdeu 0,49%, Paris 0,48% e Londres 0,49%, enquanto Frankfurt avançou 0,02%.

No mercado petrolífero, o brent continua em queda, perdendo 0,89% para 10,02 dólares por barril, enquanto o crude WTI cai 1,07% para 60,02 dólares por barril, em resultado do aumento da produção de petróleo norte-americana e após as sanções ao Irão serem menores do que o esperado pelos analistas. euronext

Recomendadas

Wall Street fecha em queda acentuada com arrefecimento económico

O dia de hoje foi marcado pela derrocada das ações da Johnson & Johnson. As ações caíram 10,13% no Dow Jones após a Reuters dizer que a empresa sabia há décadas que o seu pó de talco continha amianto, uma substância cancerígena que supostamente terá causado cancro a milhares de clientes.

Science4you adia entrada em bolsa para 8 de fevereiro

O pedido de adiamento do período de subscrição da oferta à CMVM foi sustentado na celebração de um contrato de liquidez com um intermediário financeiro.

Moody’s: “Política monetária permanecerá altamente acomodatícia”

Vice-presidente da agência de notação financeira Moody’s, Madhavi Bokil, defendeu que o “momento da normalização da taxa de juros dependerá das perspectivas de crescimento”.
Comentários