PTP entrega requerimento para debate sobre apascentação de gado no Parque Ecológico do Funchal

A autarquia tinha decido permitir durante três meses o Pastoreio no Parque Ecológico, uma decisão que levou a que a Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal colocasse uma providência cautelar no Tribunal Administrativo do Funchal que visava a suspensão imediata desta decisão.

O PTP entregou um requerimento para a realização de um debate sobre a apascentação de gado no Parque Ecológico do Funchal, para ser realizado na Assembleia Municipal.

Sobre a apascentação de gado no Parque Ecológico do Funchal, em dezembro, a autarquia tinha decido permitir durante três meses o pastoreio no Parque Ecológico, como tinha sido noticiado pela RTP Madeira.

Contudo passados poucos dias o diretor do Departamento de Ciências e Recursos Naturais da Câmara Municipal, José Carlos Marques, disse que os pastores tinham encontrar uma quinta mais próxima, que tinha sido vedada recentemente pela Fundação Social-Democrata, que “lhes terá dito que voltaria a abrir as portas para receber o gado e por já não seria necessário” terem que subir até ao Parque Ecológico do Funchal.

O mesmo responsável recusou a ideia de recuo do município perante uma providência cautelar entregue pela Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal (AAPEF), na altura, entregou no Tribunal Administrativo do Funchal (TAF) que visava a suspensão imediata da decisão da Câmara Municipal.

Recomendadas

O que ficou dos discursos do 25 de Abril na Madeira

A saúde é uma das áreas apontadas como deficiente pela oposição. José Manuel Rodrigues indica, sobre este assunto, os 40% de madeirenses que não têm médico de família e as 21 mil pessoas em lista de espera para uma cirurgia.

Motorista do autocarro que teve acidente no Caniço já saiu do hospital

Neste momento, no hospital apenas mantém-se a guia turística que seguia também no autocarro, depois de ter realizado uma segunda intervenção cirúrgica. O SESARAM informa que a guia está a “evoluir favoravelmente”.

Comissão de inquérito às listas de espera arranca com audição ao Iasaúde

A comissão de inquérito arranca com as audições na segunda-feira. Já estão confirmadas as de Pedro Ramos, secretário regional da Saúde, a António Correia de Campos, antigo ministro da Saúde, à direcção clínica e conselho de administração do SESARAM, e ao presidente da Ordem dos Médicos da Madeira.
Comentários