Publicação da nova proposta de lei para o Brexit adiada. May em risco de demitir-se amanhã

O governo britânico adiou a publicação da nova proposta de lei para o Brexit, inicialmente prevista para sexta-feira para que fosse votada na semana que se inicia a 3 de junho. Impresa britânica antecipa demissão da primeira ministra esta sexta-feira.

Christopher Furlong/REUTERS

A proposta de lei sobre o processo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE) não consta do programa legislativo anunciado pelo governo da primeira-ministra britânica, Theresa May, aos deputados.

A proposta define os termos do Brexit, sendo que Theresa May assegura que é “a última oportunidade” de garantir uma saída ordenada. “Informaremos a câmara sobre a publicação e a introdução da proposta de lei sobre o acordo de saída depois da pausa parlamentar”, até 4 de junho, afirmou o representante do executivo, Mark Spencer.

A primeira-ministra está sob intensa pressão para se demitir devido à dificuldade em apresentar um plano satisfatório para fazer o Reino Unido sair da UE. E essa pressão agravou-se, segundo o jornal britânico “The Times“, que escreve que a primeira-ministra britânica deverá abandonar o número 10 de Downing Street já esta sexta-feira. A publicação cita fontes dos conservadores próximas de Theresa May, após mais uma demissão no executivo de Londres, desta vez da ministra dos Assuntos Parlamentares, Andrea Leadsom, eurocética e pró-Brexit.

Andrea Leadsom justificou a demissão afirmando “já não acreditar” que o governo esteja em condições de concretizar o resultado do referendo de junho de 2016 que ditou o Brexit. Theresa May disse que apresentaria uma nova proposta de saída da União Europeia, mas, na carta de demissão, Leadsom escreveu que “mais um voto sobre o Brexit criaria perigosas divisões” e que o Reino Unido deixaria de ser totalmente soberano com o acordo proposto.

O “The Times” cconfirma que Theresa May foi encurralada depois de alguns ministros se terem juntado à revolta do Partido Conservador. O britânico diz ainda que a contestação a Theresa May não é feita apenas por defensores de uma saída do Reino Unido da UE, tornando muito frágil a posição da governante.

O adiamento anunciado hoje ocorre no mesmo dia em que o Reino Unido realiza eleições para o Parlamento Europeu, um escrutínio em que os conservadores deverão registar uma perda acentuada de votos

Ler mais
Recomendadas

FMI: distribuição desigual da vacina pode criar instabilidade em economias emergentes

“A aquisição de doses de vacina para economias de mercados emergentes e em desenvolvimento por meio de negociação direta ou através do pilar multilateral COVAX está significativamente atrasada”, avisou a instituição liderada por Kristalina Georgieva.

“É a diferença entre a vida e a morte”. Sindicato alerta para riscos de fim de ambulância da TAP no aeroporto de Lisboa

O Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves avisa que os cortes salariais podem chegar aos 44% na TAP e que existe falta de pessoal: “Chegamos a ter um técnico para dois aviões em simultâneo, não é nada seguro”.

Comissão de Trabalhadores da TAP exige auditoria independente à compra de aviões por David Neeleman

A comissão de trabalhadores da TAP também quer saber o futuro da operação de manutenção no Brasil, que consideram ser um “buraco negro” por absorver muito dinheiro.
Comentários