Quase metade dos portugueses considera que o seu poder de compra está a diminuir

No entanto, 25% dos portugueses acham que tem um rendimento superior ao da maioria dos seus compatriotas, segundo o estudo “Observador Cetelem Consumo 2017”.

Uma grande parte dos portugueses tem menos poder de compra. A conclusão é do estudo “Observador Cetelem Consumo 2017”, que aponta para 46% dos inquiridos a considerar que este ano têm menos capacidade para comprar bens e serviços. Ainda assim, o valor é inferior ao registado no ano passado, quando era a maioria (57%).

Apesar de ter diminuído, trata-se de um número acima da média global dos 15 países inquiridos no estudo – Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Dinamarca, Espanha, França, Hungria, Itália, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia, Reino Unido e Eslováquia -, que é cerca de 37%.

Só 15% dos portugueses que participaram no questionário assinalaram que o seu poder de compra aumentou ao longo de 2017 e 38% dos consumidores nacionais dizem que se manteve estável.

“Notamos uma melhoria geral do poder de compra, porém quase metade dos inquiridos dizem que a sua capacidade financeira está a diminuir. A confirmar-se a tendência, poderá ter impacto no consumo interno, uma das alavancas para o crescimento da nossa economia”, disse Pedro Camarinha, diretor de distribuição do Cetelem, de acordo com o comunicado divulgado esta terça-feira pela marca.

Segundo o mesmo relatório, para o qual foram inquiridos 13.000 europeus, 25% dos portugueses acham que tem um rendimento superior ao da maioria dos seus compatriotas e 37% indicam que se encontra dentro da média nacional.

Relacionadas

Poupança das famílias no valor mais baixo em 18 anos

Apesar de o rendimento das famílias estar a aumentar, a menor poupança deve-se ao facto de se registar “uma variação mais intensa na despesa de consumo final do que no rendimento disponível”, escreve o INE.

Apenas 4% dos portugueses poupa para a reforma

Os resultados do 2.º inquérito à literacia financeira dos portugueses, promovido pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros, revela que cerca de 59% dos participantes afirma conseguir poupar, embora apenas 4% identifiquem a poupança para a reforma como uma prioridade.
Recomendadas

Conheça as dicas do Portal da Queixa para comprar online de forma segura

Esteja sempre atento ao extrato do seu banco para confirmar se os valores debitados correspondem ao valor que gastou nas suas compras online.

Um em cada dois pagamentos na Europa já são ‘contactless’

Em Portugal, o número de transações ‘contactless’ duplicou de 2017 para 2018, o que demonstra a adesão dos consumidores às novas tecnologias, consideradas mais seguras e convenientes.

Taxas Euribor mantêm-se a três, seis, nove e 12 meses

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, voltou esta sexta-feira a ser fixada em -0,319%, o mesmo valor desde 30 de julho e um máximo dos últimos seis meses, contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril de 2017.
Comentários