PremiumQuem está por trás dos clubes? Nem a UEFA sabe

Na Europa, 90% dos clubes não publica as suas contas e 77% estão em insolvência ou pré-insolvência. Estudo internacional sobre a propriedade de clubes mostra resultados surpreendentes sobre o fraco escrutínio aos capitais associados ao futebol.

Um estudo global sobre os proprietários dos clubes denunciou a falta de escrutínio sobre os proprietários, os acionistas e investidores dos clubes de futebol e sociedades desportivas à escala mundial. Desenvolvido e elaborado pela Union Internationale des Avocats (UIA), pela Sport Integrity Global Alliance (SIGA) e pelo Centro Internacional para a Segurança no Desporto (ICSS INSIGHT), este estudo foi realizado em 25 países como EUA, Japão, China, México, Rússia, Turquia, Inglaterra, Espanha, Itália, França e Portugal.

Uma das conclusões retiradas desta análise indicou “um aumento substancial de investidores desconhecidos ou fundos de investimento sediados em offshores, dificultando o trabalho de regulação das federações e ligas profissionais no controlo da origem da propriedade e da sua condição legal. Não é por isso de estranhar que só em 18% dos países analisados exista o dever de divulgar a identidade dos proprietários, investidores dos clubes em competições profissionais e não profissionais.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Cristiano Ronaldo pode render 515 milhões à Juventus já esta época

O clube italiano investiu 340 milhões de euros no português para as próximas quatro temporadas, mas esse valor pode ser ultrapassado já na presente época. Tudo depende dos resultados desportivos.

Hoje há ‘Jogo Económico’. Qual o segredo do sucesso do andebol português?

Nesta edição, que poderá ser vista no site do ‘Jornal Económico’ e nas redes sociais esta sexta-feira às 20h00, Miguel Laranjeiro, presidente da Federação Portuguesa de Andebol, vem ao programa para debater o estado do andebol português com os comentadores João Marcelino e Leonardo Ralha.

PremiumMelhores jogadores de ténis do futuro vêm à terra batida do Estoril

João Zilhão, diretor do Millennium Estoril Open, explicou a aposta para atrair os “futuros número um do mundo” para um torneio que está “enquadrado” com a economia e o ténis nacional.
Comentários