Quem paga o muro de Trump? Donativos prestes a atingir 20 milhões de dólares

Fundo pretende auxiliar o presidente Donald Trump a conseguir os cinco mil milhões de dólares que são necessários para construir o muro na fronteira com o México.

Reuters

Os donativos para a campanha GoFundMe, criada por um veterano para arrecadar fundos para pagar o muro a construir na fronteira com o México, diminuíram para uma pequena margem, mas a campanha já arrecadou 20 milhões de dólares (perto de 18 milhões de euros), revela a imprensa norte-americana. Durante a primeira semana, a campanha arrecadou mais de 16 milhões.

Brian Kolfage, um ‘speaker’ motivacional gravemente amputado, está por trás da campanha e prometeu que os fundos serão mantidos até que haja garantias que todo o dinheiro vai para o financiamento do muro.

A iniciativa surgiu depois de a questão do muro ter causando a paralisação do governo. No mês passado, o veterano da Força Aérea dos Estados Unidos, Brian Kolfage, montou a campanha GoFundMe, pedindo que os partidários do presidente Trump ajudassem a pagar o muro. Nas primeiras 72 horas, a campanha recebeu mais de 5 milhões em donativos.

Uma semana depois, em 24 de dezembro, a campanha arrecadou mais de 16 milhões, depois de mais de 333 mil pessoas terem aderido. No primeiro dia on-line, a campanha estava a arrecadar mil dólares a cada minuto.

“Se os 63 milhões de pessoas que votaram em Trump prometerem doar 80 dólares, poderemos construir o muro”, diz a página do GoFundMe. “Isso equivale a cerca de cinco mil milhões de dólares, mesmo que tenhamos metade, é metade do muro. Podemos fazê-lo”.

No lançamento da campanha, Kolfage – que sofreu três amputações depois de ter sido gravemente ferido durante a Operação Iraqi Freedom, em 2004 – escreveu que se sente “profundamente envolvido na nação, para garantir que as gerações futuras tenham tudo o que temos hoje”. “Muitos ilegais estão a aproveitar o dinheiro dos contribuintes dos Estados Unidos, sem meios para contribuírem para a nossa sociedade”.

Kolfage disse ao Washington Post que começou a campanha porque percebeu que os “jogos políticos de ambos os partidos” têm atrasado a construção do muro. “É hora de acabar com esses jogos”.

Kolfage assegurou que o dinheiro será reembolsado se não puder ser diretamente gasto no financiamento da construção do muro.

O fundo é apenas uma das soluções encontradas pelos norte-americanos que apoiam a construção do muro na fronteira com o México, sendo várias as iniciativas civis para tentar conseguir financiamento que permita a Trump – que está com dificuldade em encontrar esses fundos – possa avançar com esta promessa de campanha.

Ler mais
Recomendadas

Mais de uma dezena de feridos em manifestação em Atenas contra designação da Macedónia

Mais de uma dezena de pessoas ficaram feridas hoje, em Atenas, nos violentos ataques registados durante uma manifestação contra a ratificação do acordo que prevê a alteração do nome da Antiga República Jugoslava da Macedónia para Macedónia do Norte.

Manifestação contra o aborto e eutanásia junta milhares de pessoas em Paris

De acordo com a agência AP, o grupo de manifestantes apelou a que os médicos deixem de realizar abortos, alegando para isso “objeção de consciência”. Em França são realizados, anualmente, cerca de 200.000 abortos.

Papa pede orações por quem tem responsabilidade pelas mortes no Mediterrâneo

“Penso nas vítimas dos naufrágios no Mediterrâneo. Procuravam um futuro para a sua vida. Vítimas quiçá de traficantes de seres humanos. Rezemos por eles e por todos os que têm responsabilidades no que sucedeu”, disse Francisco durante a celebração do Angelus, na Praça de São Pedro, Cidade do Vaticano.
Comentários