Quem paga o muro de Trump? Donativos prestes a atingir 20 milhões de dólares

Fundo pretende auxiliar o presidente Donald Trump a conseguir os cinco mil milhões de dólares que são necessários para construir o muro na fronteira com o México.

Reuters

Os donativos para a campanha GoFundMe, criada por um veterano para arrecadar fundos para pagar o muro a construir na fronteira com o México, diminuíram para uma pequena margem, mas a campanha já arrecadou 20 milhões de dólares (perto de 18 milhões de euros), revela a imprensa norte-americana. Durante a primeira semana, a campanha arrecadou mais de 16 milhões.

Brian Kolfage, um ‘speaker’ motivacional gravemente amputado, está por trás da campanha e prometeu que os fundos serão mantidos até que haja garantias que todo o dinheiro vai para o financiamento do muro.

A iniciativa surgiu depois de a questão do muro ter causando a paralisação do governo. No mês passado, o veterano da Força Aérea dos Estados Unidos, Brian Kolfage, montou a campanha GoFundMe, pedindo que os partidários do presidente Trump ajudassem a pagar o muro. Nas primeiras 72 horas, a campanha recebeu mais de 5 milhões em donativos.

Uma semana depois, em 24 de dezembro, a campanha arrecadou mais de 16 milhões, depois de mais de 333 mil pessoas terem aderido. No primeiro dia on-line, a campanha estava a arrecadar mil dólares a cada minuto.

“Se os 63 milhões de pessoas que votaram em Trump prometerem doar 80 dólares, poderemos construir o muro”, diz a página do GoFundMe. “Isso equivale a cerca de cinco mil milhões de dólares, mesmo que tenhamos metade, é metade do muro. Podemos fazê-lo”.

No lançamento da campanha, Kolfage – que sofreu três amputações depois de ter sido gravemente ferido durante a Operação Iraqi Freedom, em 2004 – escreveu que se sente “profundamente envolvido na nação, para garantir que as gerações futuras tenham tudo o que temos hoje”. “Muitos ilegais estão a aproveitar o dinheiro dos contribuintes dos Estados Unidos, sem meios para contribuírem para a nossa sociedade”.

Kolfage disse ao Washington Post que começou a campanha porque percebeu que os “jogos políticos de ambos os partidos” têm atrasado a construção do muro. “É hora de acabar com esses jogos”.

Kolfage assegurou que o dinheiro será reembolsado se não puder ser diretamente gasto no financiamento da construção do muro.

O fundo é apenas uma das soluções encontradas pelos norte-americanos que apoiam a construção do muro na fronteira com o México, sendo várias as iniciativas civis para tentar conseguir financiamento que permita a Trump – que está com dificuldade em encontrar esses fundos – possa avançar com esta promessa de campanha.

Ler mais
Recomendadas

Senado brasileiro rejeita decreto de Bolsonaro que facilita posse de armas

O projeto que anula o decreto de Bolsonaro segue agora para análise na Câmara dos Deputados. O tema deverá tramitar em regime de urgência, indo direto para o plenário. Não há, porém, prazo para a votação.

Trump anuncia oficialmente a recandidatura à Casa Branca

O Presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a sua recandidatura à Casa Branca e, num comício em Orlando, Flórida, voltou a acusar os jornalistas de serem “Fake News” e disse que o país tem a melhor economia de sempre.

Planeta Terra: uma máquina de produzir refugiados

Desde sempre que os refugiados são um problema político, mas, num momento em que a questão está a mudar o rumo da Europa, as autoridades demonstram não fazer a mais pálida ideia sobre uma solução para o problema.
Comentários