Quinze pisos e um investimento de 30 milhões. Torre nas Amoreiras vai ser reconstruída

Designado ‘A’Tower – Urban Feel’, o projeto oferecerá 34 apartamentos e representará um investimento de cerca de 30 milhões de euros, a ser construído ao longo dos próximos 18 meses.

A construtora Alves Ribeiro foi a empresa selecionada para reconstruir uma torre nas Amoreiras, num investimento avaliado em cerca de 30 milhões de euros

O contrato foi assinado pela proprietária do edifício, a Vanguard Properties, no final do mês de julho e os trabalhos de execução da obra, que já começaram, deverão durar 18 meses.

Designado ‘A’Tower – Urban Feel’, o projeto oferecerá 34 apartamentos.

“O edifício terá 15 pisos acima do solo, três pisos de estacionamento e tipologias entre T1 e T5. Todos os residentes terão à sua disposição piscina exterior na cobertura (16º piso) e uma piscina interior, SPA, ginásio, parque, portaria e serviço de ‘concierge'”, adianta um comunicado da Vanguard Properties.

Segundo esse documento, “trata-se de uma reconversão de um edifício de escritórios num edifício de habitação projetado pelo atelier Saraiva + Associados e é definido pela sua arquitetura contemporânea, ‘mix’ de materiais nobres que conferem um ambiente moderno e acolhedor, acabamentos sofisticados, linhas dinâmicas e carácter acentuado pelas várias varandas que oferecem amplas vistas para o Parque de Monsanto e centro da cidade”.

“De destacar ainda a intervenção artística que estará presente numa das empenas do edifício, e que ocupará uma superfície vertical com cerca 500 metros quadrados”, adianta a Vanguard Properties.

De acordo com as informações da dona deste edifício, “a Alves Ribeiro é uma empresa portuguesa de capital privado, que se dedica à indústria da construção em contratação pública e privada”.

Fundada em 1941, a empresa possui uma imagem de flexibilidade e grande solidez financeira e mantém uma expansão sólida e progressiva. O seu núcleo empresarial tem vindo a alargar-se com a formação de novas sociedades e a participação noutras empresas”, acrescenta o referido comunicado.

Segundo José Cardoso Botelho, ‘managing director’ da Vanguard Properties, “o projeto ‘A´Tower’ apresentará uma qualidade, exclusividade, localização e vistas de exceção”.

“Nenhum pormenor em termos de qualidade de materiais, ‘design’, decoração e conforto foi deixado ao acaso. Gostaria de destacar a peça de grandes dimensões que estará presente no exterior do edifício. A arte faz parte do ADN da Vanguard Properties e por isso em todos os nossos projetos damos grande importância a esta vertente. Estamos certos de que a ‘A´Tower’ será um sucesso de vendas e que será um marco arquitetónico da cidade”, assinalam os responsáveis da Vanguard Properties.

A Vanguard Properties reclama ser um dos maiores promotores imobiliários nacionais, fundado por Claude Berda em associação com José Cardoso Botelho, “ambos com experiência relevante nos segmentos de ‘yield’ e promoção”.

Atualmente, a empresa encontra-se envolvida em vários projetos residenciais e turísticos de excelência em Lisboa, no Algarve e na Comporta.

“No passado dia 23 de outubro, a Vanguard Properties na qualidade de líder de um consórcio em parceria com a Amorim Luxury, subscreveu o contrato de promessa de compra e venda dos 1.380 hectares detidos pelo Fundo da Herdade da Comporta – FEIIF”, recorda o comunicado em causa.

“O grupo imobiliário, focado em plataformas inovadoras e investimentos diferenciadores e de elevada qualidade, trabalha todas as fases do projeto desde a prospeção e escolha de oportunidades de investimento até a venda de ativos imobiliários, diretamente ou através de parceiros.

A imobiliária garante que a Vanguard Properties dispõe de “uma equipa de 23 quadros dedicados, em exclusivo, ao desenvolvimento dos seus projetos (…)”.

Ler mais
Recomendadas

Hotel da Barrosinha abre portas em Álcacer do Sal num investimento de cinco milhões de euros

Dispondo de 37 quartos standard, que inclui um quarto totalmente adaptado para pessoas com mobilidade reduzida e oito quartos comunicantes, e ainda duas suites, o Hotel da Barrosinha aposta na proximidade ao ritmo da natureza.

Ministro do Ambiente afirma que processo do lítio em Montalegre é “cristalino”

João Pedro Matos Fernandes afirmou que “é óbvio” que os argumentos das populações são importantes, bem com os das autarquias”, e lembrou que durante a avaliação de impacto ambiental vai decorrer uma consulta pública.

Novo Banco confirma que a venda carteira de malparado Nata II foi autorizada pelo Fundo de Resolução

O banco confirma assim a notícia avançada hoje pelo Jornal Económico. O Novo Banco já registou nas contas a venda da carteira de malparado ao fundo Davidson Kempner.
Comentários