Receitas fiscais com forte subida na Madeira

Entre julho e outubro a receita obtida por via fiscal subiu sempre acima dos 10%, na Madeira, com excepção de setembro, onde o crescimento ficou fixado nos 3,6%.

As receitas fiscais têm registado uma forte subida nos últimos quatro meses, de acordo com o Boletim de Execução Orçamental, referentes aos mês de julho, agosto, setembro, e outubro.

Desde julho a receita obtida pelo Governo Regional tem estado a crescer depois de uma quebra em maio, junho. Entre julho e outubro a receita obtida por via fiscal subiu, com excepção de setembro, acima dos 10%.

Pela via fiscal chegaram aos cofres do Governo Regional em julho 88 milhares de euros, uma subida de 64% face ao período homólogo, enquanto que em agosto, setembro e outubro, se obteve, 537, 76, e 700 milhares de euros, que correspondem a um crescimento homólogo de 14,5%, 3,6%, e 11,1%.

Os impostos directos são um dos motivos que explicam este crescimento. O Boletim de Execução Orçamental referente a agosto e outubro indicam subidas homólogas de 29,2% e 20,4%.

No conjunto da receita arrecada pelo Governo Regional verificam-se subidas homólogas na ordem dos 25,8%, 8%, 3,1%, e 7%, para os meses de julho, agosto, setembro, e outubro.

Se entre julho e outubro se assiste a uma subida da via fiscal, o mesmo não se pode dizer relativamente à despesa.

Em julho a despesa disparou 22,3%, assente na subida em 23,3% na despesa corrente, decorrente de um crescimento de 26,9% nos gastos com juros e outros encargos.

Os juros e outros encargos representaram em julho 60 dos 136 milhares de euros de despesa corrente do Governo Regional.

As despesas de capital subiram 8%, em julho, mas no seu global correspondem a 9 milhares de euros.

A despesa acabou por cair 5,7% em agosto, com um contributo da despesa corrente que quebrou 4,6%, por via da descida em 15,2% e 12,5% na aquisição de bens e serviços e nos juros e outros encargos.

O mesmo padrão é extensível a agosto onde existiu um aumento de 4,2% na despesa do Governo Regional. A despesa corrente contudo caiu 0,1%, apesar da subida em 20,5% e em 27,4%, na aquisição de bens e nos juros. Contudo na despesa de capital verificou-se um aumento de 40,8%.

A descida na despesa em maio foi de 3,2%, devido às quebras de 3,2% na despesa corrente e de 2,8% na despesa de capital.

Ler mais
Recomendadas

Primeiro Ciclo do Ensino Básico Recorrente tem 463 alunos na Madeira

Estes cursos permitem que adultos de todas as idades adquiram competências básicas de leitura, escrita e cálculo.

Artista Carlos Valente apresenta exposição de pintura aumentada

O artista explica que se trata de concentrar o olhar no pormenor e no fragmento, para destacar elementos plástico-formais que considera exemplares para pensar a técnica, o estilo e as opções temáticas do pintor.

Jardim dos Sabores junta gastronomia e talentos artísticos e culturais madeirenses

A promoção da sustentabilidade ambiental é um dos pilares do projeto, sendo que durante o evento vai ser proibido o uso de palhinhas e de copos de plástico, que dão lugar aos copos reutilizáveis.
Comentários