PremiumRegionalização parcial de Rui Moreira é inconstitucional, dizem especialistas

Constitucionalistas dizem que sistema de “voto por região” proposto pelo autarca portuense vai contra o texto fundamental. Partidos apoiam divisão em regiões, mas diferem sobre o quando e o como. Questão dos mapas entre os temas mais polémicos.

A ideia renasceu a Norte e está a conquistar seguidores no resto do país. Alguns autarcas de várias cores partidárias querem um novo referendo nacional à regionalização, vinte anos após o primeiro chumbo. Enquanto uns pedem uma análise aprofundada e a concretização do processo de descentralização primeiro, autarcas do Norte, liderados pelo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, avançam já com a discussão da forma como deve ser feito o referendo, para evitarem “erros do passado”. Mas o sistema de contagem de votos que propõem esbarra na Constituição.

A proposta surge numa altura em que decorrem negociações entre o Governo e a Associação Nacional de Municípios Portugueses e a Associação Nacional de Freguesias. A partir de 2021, as autarquias devem receber novas competências, incluindo gestão do património e vias de comunicação. Mas alguns autarcas mais a Norte defendem que para que haja uma verdadeira descentralização é necessário que esta seja complementada com a regionalização, prometida na Constituição desde 1976. Moreira não só propõe um novo referendo, como um novo sistema de contagem de votos. Sendo ele, seria “mais democrático” que, se a regionalização vencesse numa das regiões propostas, avançasse aí mesmo que nas restantes ganhasse o ‘não’.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

Rui Moreira defende “regionalização política” para descentralizar

“Eu continuo a estar convicto que a única forma de ter descentralização é termos uma regionalização política, porque é a regionalização política que nos vai dar os argumentos para que as verdadeiras competências passem”, afirmou Rui Moreira.

Regionalização e desenvolvimento local

Regionalizar constitui não apenas uma condição para o aprofundamento da democracia, como ainda uma necessidade para a promoção da melhoria da qualidade de vida para os cidadãos.
Recomendadas

PremiumFundação La Caixa: Em busca de soluções para os vulneráveis

Nascida há 110 anos, a Fundação La Caixa conta com um orçamento de 540 milhões de euros e um portefólio que toca todas as fronteiras da sociedade. Pretende agora replicar em Portugal, ampliando o papel social que o BPI já desempenha. Artur Santos Silva explica como.

Premium“As empresas vão ter de ser ativas e de colaborar no 5G”

O responsável da área de Empresas da Huawei em Portugal recorda os principais marcos do crescimento no país e aponta os desafios futuros.

PremiumRui Rio: “Gigante adormecido” acorda a sonhar com um ciclo de vitórias

As últimas sondagens dão margem a Rui Rio para objetivos que pareciam inatingíveis. Depois de silenciar o ruído das guerras internas no PSD, a direção do partido está focada nas eleiçõese promete ser uma alternativa ao Governo.
Comentários