Reino Unido pode incluir serviços financeiros num acordo pós-Brexit

Phillip Hammond, defendeu hoje que existe um “interesse mútuo” para o Reino Unido e para a União Europeia para incluir o acesso a serviços financeiros

O ministro da Economia britânico, Phillip Hammond, defendeu hoje que existe um “interesse mútuo” para o Reino Unido e para a União Europeia para incluir o acesso a serviços financeiros num futuro acordo comercial pós-Brexit.

Num discurso proferido em Londres, no qual se estabeleceu as prioridades do Reino Unido face à saída da União Europeia, Hammond criticou os “céticos” que asseguram que “não se pode fazer um acordo comercial que inclua serviços financeiros porque é algo que nunca foi feito antes”.

“Todos os acordos comerciais que a União Europeia fez foram únicos”, sustentou o titular da pasta da Economia britânico, que assegurou que qualquer “fragmentação” da City de Londres, o coração financeiro do Reino Unido, beneficiaria outros mercados internacionais como Nova Iorque, Singapura e Hong Kong.

Recomendadas

Chelsea FC está à venda: Abramovich quer 3,3 mil milhões de euros

Clube londrino pode mudar de mãos e já há um preço definido: quinze vezes mais do que foi investido pelo magnata russo há 15 anos.

Telefónica planeia vender filiais no México e América Central para reduzir dívida e valorizar em bolsa

Em causa estão as filiais da Telefónica no México, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Nicarágua e Panamá. A empresa de telecomunicações está a trabalhar neste cenário “há muitos meses” e as negociações estão “bastante avançadas”.

Pedro Proença em direto: os novos desafios do futebol profissional em Portugal

O presidente da Liga de Futebol Profissional está no International Club of Portugal para falar sobre o futebol português. Acompanhe em direto.
Comentários