Respostas Rápidas: como é que as polémicas de Musk estão a fazer tremer a Tesla?

A instabilidade da empresa tem sido agravada pelos comentários impulsivos do milionário, que o próprio justifica ao jornal como fruto da exaustão. Os investidores da Tesla começam a questionar o génio de Musk.

Em que polémicas esteve Musk envolvido recentemente?

Durante um ‘podcast’ com o comediante norte americano Joe Rogan, o CEO, de 47 anos, passou duas horas e meia a discutir tudo, desde a importância da inteligência artificial ao seu impacto na humanidade, o papel das redes sociais e até falou sobre lança chamas.
Apesar do discurso, o milionário saltou para a ribalta pelos piores motivos: bebeu um copo de whisky e terá fumado marijuana durante a emissão. Isto resultou não só numa queda dos títulos da Tesla até 6%, na passada sexta feira, dia 7 de setembro, mas também na demissão de dois executivos da empresa, somando, assim, 41 demissões que empresa sofreu no ano inteiro.

Quais são as principais dificuldades que Musk e a empresa enfrentam?

A Tesla conseguiu bater vários recordes em apenas três meses. Somou vendas acima de 717 milhões de dólares (614 milhões de euros) no segundo trimestre do ano, período em que também registou perdas de 430 milhões de dólares (cerca de 368 milhões de euros), as maiores da sua história. “Este ano foi o mais difícil e mais doloroso da minha carreira.”
A admissão é feita pelo próprio milionário numa entrevista ao “The New York Times”, numa altura em que a sua empresa enfrenta falta de liquidez e uma investigação do regulador da bolsa norte-americana. A instabilidade da empresa tem sido agravada pelos comentários impulsivos de Musk, que o próprio justifica ao jornal como fruto da exaustão. “Houve vezes em que não saí da fábrica durante três ou quatro dias, dias em que não fui à rua”, declarou, emocionado. “O preço a pagar é que não vejo os meus filhos, nem os meus amigos.”

Será que a Tesla vai recuperar a tempo?

Mesmo com um pequeno aumento nos títulos nesta segunda-feira, a Tesla caiu mais de 20% no último mês, avança a Bloomberg. Apesar deste percalço, já disse várias vezes que espera que a Tesla se torne rentável até ao final do ano. Musk revelou que a Tesla está prestes a construir e entregar duas vezes mais carros do que no último trimestre. Até junho, a Tesla somou a produção de 53 mil veículos e vendeu 40 mil unidades.

Quais são os novos truques na manga da fabricante?

O empreendedor anunciou ontem, dia 11 de setembro, no sentido de ‘’simplificar’’ a produção dos carros, vai descontinuar dois modelos dos carros eléctricos. O Obsidian Black (preto metalizado ) e o Metallic Silver (prateado metalizado) só estarão disponíveis como pedido especial e terão um custo mais elevado, disse ele. Na prática, os clientes da Tesla vão ter de fazer um esforço maior se quiserem um automóvel totalmente preto metalizado, ou prateado metalizado. Nas restantes opções permanece o “preto sólido”, “prateado midnight metalizado”, o azul-metalizado, o branco pérola e o clássico vermelho. Ainda não se sabe quanto vai custar a mais as duas cores retiradas do catálogo.

Por que Elon Musk quer tirar a Tesla de bolsa?

Entre os argumentos dados por Musk está o peso que os ‘short sellers’, os investidores que apostam na queda das ações, têm na cotação. Diz que a Tesla é a ação que sofreu um maior ataque por parte dos especuladores na história dos mercados acionistas. “Estar cotada significa que existe um grande número de pessoas que têm o incentivo para atacar a empresa”, diz Musk. A empresa tem o equivalente a cerca de 20% do capital nas mãos de ‘short sellers’

Ler mais
Recomendadas

Jorge Alves foi eleito o melhor enólogo ano em Portugal em 2018

O prémio de Jorge Alves, o enólogo principal da casa desde 2012, atribuído pela revista ‘Vinho Grandes Escolhas’, ficou reforçado pelo destaque aos Mirabilis, dois grandes reservas tinto e branco entre os melhores vinhos do ano.

Empresa de engenharia Quadrante entra na África do Sul

A Quadrante vai desenvolver o projeto de estruturas do futuro ‘Centro Comercial Fourways Mall’, em Joanesburgo, uma obra que será realizada em parceria com a Mota – Engil.

Sasia recicla 900 toneladas de resíduos têxteis por mês

Cerca de metade do volume da nova matéria-prima produzida pela Sasia é absorvida pela indústria nacional, enquanto os restantes 50% têm como destino a Europa.
Comentários