RTP: Escolhido o sucessor de Nuno Artur Silva

Conselho Geral Independente da RTP escolheu o novo administrador para o pelouro dos conteúdos.

Hugo Graça Figueiredo foi nomeado pelo Conselho Geral Independente (CGI) para administrador da RTP para a área dos conteúdos, substituindo assim Nuno Artur Silva. Também já foi escolhido o nome que irá ocupar o lugar de administrador para a área financeira.

“Na sequência de contactos posteriores com Gonçalo Reis, o Conselho Geral Independente procedeu à designação dos dois outros membros do Conselho de Administração: o engenheiro Hugo Graça Figueiredo e, para a área financeira, uma personalidade cuja designação foi submetida, nos termos da lei, ao parecer prévio e vinculativo do ministro das Finanças”, adianta o CGI em comunicado.

Hugo Graça Figueiredo trabalhou na Sonae durante 16 anos e este ligado ao jornal Público e à comunicação da NOS.

O agora ex-administrador da RTP com o pelouro dos conteúdos, Nuno Artur Silva, não foi reconduzido pelo CGI da RTP por “conflito de interesses”.

Relacionadas

Nuno Artur Silva, um problema de transparência bem decidido na RTP

Nuno Artur Silva (NAS), administrador da RTP para a área dos conteúdos, não vai ser reconduzido. O assunto foi caso de arromba pelos restaurantes de Lisboa e mereceu até, de algumas viúvas, uma choraminguice na praça pública. Também é verdade que os inimigos públicos da NAS se movimentaram nas tribunas da maledicência pura e dura.

“Conflito de interesses” afasta Nuno Artur Silva da administração da RTP

O jornal Expresso adianta que o administrador responsável pelos conteúdos da RTP deverá abandonar o cargo na estação pública.
Recomendadas

Farfetch escolhe mais sete startups para acelerar e uma delas é portuguesa

O programa de empreendedorismo da tecnológica contará, na terceira edição, com a BECOCO, Brandpoint Analytics, Change of Paradigm, Inline Digital, Mirow, Personify XP e a Springkode.

Novo Banco faz fusão por incorporação com BES das Ilhas Caimão

Contactada pela Lusa, fonte oficial do Novo Banco confirmou a informação, explicitando que se trata de uma fusão por incorporação.

BCP ficou com 10,9% na Inapa que quer vender no mercado

O BCP ficou diretamente (sem contar com a participação do Fundo de Pensões) com 10,88% da Inapa que quer vender no mercado paulatinamente, para não perturbar a bolsa.
Comentários