Rui Barreto teme encerramento de lojas de construção civil no Funchal se projeto da Leroy Merlin for aprovado

O vereador na Câmara Municipal do Funchal apela a um debate público sobre o impacto que este estabelecimento pode ter na economia regional e na eventual destruição de postos de trabalho. O centrista diz que esta decisão tem de ser muito ponderada e estudada.

Ler mais

O vereador do CDS-PP na Câmara Municipal do Funchal, Rui Barreto, teme que sejam encerradas várias lojas no Funchal caso o projecto da Leroy Merlin seja aprovado na Nazaré. O centrista apela a que se faça um debate público pelo impacto que este estabelecimento pode ter na economia regional e na destruição de postos de trabalho.

Rui Barreto disse que solicitou, na reunião camarária, desta quinta-feira, à autarquia, o acesso ao projecto de construção de uma área habitacional e de uma loja de materiais para construção civil, na zona da antiga Prebel, na Nazaré, em São Martinho.

O centrista teme num cenário em que este projecto seja aprovado que provoque o encerramento de várias lojas, no Funchal, ligadas às construção civil.

“Uma loja com 8.800 metros quadrados, a Leroy Merlin, obriga a pareceres vinculativos, nomeadamente do Governo Regional e da direção regional de Comércio e Indústria. Mas o aspeto que mais quero salientar, é o facto de o licenciamento de uma loja com esta envergadura colocar em causa muitas empresas do setor e muitos postos de trabalho”, clarificou Rui Barreto.

O vereador na Câmara do Funchal apela a que a vereação da Coligação Confiança promova “um debate público” relativamente a este assunto.

“Esta situação é de levada importância pela dimensão que a loja incorpora e pelo impacto que isso pode ter na economia regional e também, neste caso, na destruição de postos de trabalho. Esta não pode ser um decisão leviana. Terá de ser uma decisão muito ponderada e estudada”, esclareceu.

Recomendadas

Sindicatos esperam boa adesão à greve dos enfermeiros, Bastonária na vigília na Madeira

A desmotivação e revolta dos enfermeiros são alguns dos motivos que justificam este cenário de boa adesão à greve. Entre as reivindicações está uma tabela salarial equiparada a outras áreas da Saúde.

Apoio da República para regressados da Venezuela tem sido “conversa”

Depois dos secretários da Saúde e dos Assuntos Sociais terem assumido, em entrevista ao Económico Madeira, a falta de pagamento nas verbas destinadas aos emigrantes, agora é a vez do presidente do Governo reafirmar as críticas ao Governo central.

Nós, Cidadãos critica Governo Regional por não apoiar população na aquisição de manuais escolares

Esta postura, diz o partido, mostra que o executivo regional “é insensível” às questões relacionadas com a demografia e que desistiu de um futuro sustentado para a Região Autónoma. O Nós, Cidadãos critica o Governo Regional por ter uma posição contrária à do PSD ao nível nacional.
Comentários