Rui Rio garante vitória nas eleições diretas

O ex-autarca do Porto foi o candidato mais votado no Porto, Braga, Aveiro, Viseu, Santarém, Ovar, entre outras distritais e concelhias. Por seu lado, Santana Lopes prepara-se para discursar e assumir a derrota.

Rui Rio é o novo presidente do PSD, sucedendo a Pedro Passos Coelho. O ex-autarca do Porto assegurou a vitória nas eleições diretas de hoje, sendo o candidato mais votado no Porto, Braga, Aveiro, Viseu, Santarém, Ovar, entre outras distritais e concelhias.

Por seu lado, Pedro Santana Lopes deverá ganhar na concelhia de Lisboa, mas tal não será suficiente para impedir a vitória nacional de Rio. O ex-Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa prepara-se, aliás, para discursar na sede da campanha, um hotel no centro de Lisboa (enquanto Rio está no Porto), e há indicações de que vai reconhecer desde já a derrota nas eleições diretas.

Relacionadas

Rui Rio “completamente preparado” para a vitória ou a derrota

Rio disse que “é sempre melhor ir à frente do que atrás”, mas frisou que “até ao lavar dos cestos é vindima”.

Rui Rio lidera contagem parcial dos votos e já ganhou em várias distritais e concelhias

Grandes vantagens de Rio em Aveiro, Viseu e Ovar, mas em Braga a distância para Santana Lopes foi curta. Até ao momento, o ex-autarca do Porto está em clara vantagem na contagem dos votos das eleições diretas. Resultados finais serão anunciados por volta da meia-noite.

Rui Rio está “confiante” de que vai ser o próximo líder do PSD

Ganhar não é uma questão “de vida ou de morte, um ganha, outro perde, o PSD continua, a vida continua”, disse, acrescentando que certo é que, após estas eleições, o PSD “está em condições de se relançar de uma forma muito melhor da que estava há dois ou três meses”.

Santana Lopes apela a “grande participação” dos militantes nas eleições internas

“Não há duas sem três, espero que o PPD/PSD vá para a terceira vitória consecutiva em legislativas, espero que a próxima seja com maioria absoluta”, desejou Santana.

Rui Rio: Perfil de um político austero e calculista

Quando foi secretário-geral do PSD terá gerado muitos anticorpos no aparelho do partido que ainda hoje se fazem sentir, na forma de deconfiança perante alguém que chegou a propor a colocação de um relógio de ponto na sede do partido para controlar as entradas e saídas dos funcionários.
Recomendadas

“Troika deixou marcas no mercado de trabalho”, realça Secretário de Estado do Emprego

Num discurso onde traçou o cenário do emprego em Portugal nos últimos três anos, com ênfase para a queda da taxa de desemprego e aumento do emprego criado, Miguel Cabrita chamou ao Governo parte dos louros.

CDS vai pedir uma comissão de inquérito ao ‘caso Tancos’

Proposta dos centristas surge depois da Polícia Judiciária ter detido hoje militares da Polícia Judiciária Militar e da Guarda Nacional Republicana e um outro suspeito no âmbito do caso do roubo de Tancos.

“Ele deu uma facada e rodou. Para matar, mesmo”. Bolsonaro fala pela primeira vez depois do ataque

”Ele deu uma facada e rodou. Para matar mesmo. O cara sabia o que estava fazendo. Por milímetros não atingiu veias que eu não teria como resistir”, revelou o candidato sobre o ataque de foi alvo.
Comentários