Rui Rio: “O PSD não foi fundado para ser um clube de amigos” nem “uma agremiação de interesses”

No discurso de consagração, o vencedor das eleições diretas do PSD evocou o legado do líder histórico Francisco Sá Carneiro e defendeu que a social-democracia é a “verdadeira matriz” do PSD.

No discurso de consagração como vencedor das eleições diretas, Rui Rio evocou o legado do líder histórico Francisco Sá Carneiro e defendeu que a social-democracia é a “verdadeira matriz” do PSD. “É a bússola que sempre me orientou e vou continuar a perseguir como meta na liderança do partido,” declarou Rui, marcando a diferença em relação ao antecessor Pedro Passos Coelho e ao adversário derrotado nas eleições diretas, Pedro Santana Lopes.

“O PSD não foi fundado para ser um clube de amigos, nem foi pensado para ser uma agremiação de interesses individuais ou de grupo”, avisou Rio, obtendo fortes aplausos dos apoiantes na sede de campanha, no Porto. O novo líder do PSD anunciou depois o que parece ser uma nova estratégia de oposição: “O atual Governo terá na nova liderança do PSD uma oposição firme e atenta. Mas nunca demagogia populista e nunca contra o interesse nacional.”

Relacionadas

Santana Lopes: “Espero que Portugal fique bem servido com esta escolha”

Ex-Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa assume derrota nas eleições diretas do PSD. No final de uma breve intervenção, deixou a promessa: “Vou continuar a combater politicamente. Só é derrotado quem desiste de lutar.”

Rui Rio garante vitória nas eleições diretas

O ex-autarca do Porto foi o candidato mais votado no Porto, Braga, Aveiro, Viseu, Santarém, Ovar, entre outras distritais e concelhias. Por seu lado, Santana Lopes prepara-se para discursar e assumir a derrota.

Rui Rio está “confiante” de que vai ser o próximo líder do PSD

Ganhar não é uma questão “de vida ou de morte, um ganha, outro perde, o PSD continua, a vida continua”, disse, acrescentando que certo é que, após estas eleições, o PSD “está em condições de se relançar de uma forma muito melhor da que estava há dois ou três meses”.

Santana Lopes apela a “grande participação” dos militantes nas eleições internas

“Não há duas sem três, espero que o PPD/PSD vá para a terceira vitória consecutiva em legislativas, espero que a próxima seja com maioria absoluta”, desejou Santana.

Rui Rio: Perfil de um político austero e calculista

Quando foi secretário-geral do PSD terá gerado muitos anticorpos no aparelho do partido que ainda hoje se fazem sentir, na forma de deconfiança perante alguém que chegou a propor a colocação de um relógio de ponto na sede do partido para controlar as entradas e saídas dos funcionários.
Recomendadas

Decisão sobre Infarmed é coerente e teve em conta vontade dos trabalhadores, diz ministro

O ministro da Saúde considera que a decisão de suspender para já a deslocalização do Infarmed para o Porto “é coerente” com o que Governo tem afirmado e foi tomada tendo em conta a vontade dos trabalhadores da instituição.

TC: Restrições ao pagamento de subvenções vitalícias aos ex-políticos são constitucionais

O acórdão dá resposta a um pedido de fiscalização sucessiva apresentado em agosto do ano passado pelo anterior Provedor de Justiça, José de Faria Costa, que invocou a violação do princípio da proteção de confiança nas restrições impostas a partir de 2012 à acumulação da subvenção vitalícia com outras remunerações.

Martins da Cruz: “Tenho pena do que estão a fazer ao PSD”

“Tenho pena do que estão” a fazer ao PSD e “não tenho paciência para pacóvios”, declarou o diplomata esta sexta-feira ao DN. Embaixador e ex-ministro sai do PSD em protesto contra a direção de Rui Rio.
Comentários