PremiumRui Silveira e Ricardo Salgado recorrem da condenação

Depois de Ricardo Salgado, também Rui Silveira, um dos condenados no âmbito do processo relacionado com o BESA, vai recorrer da decisão.

Rui Silveira, um dois oito administradores condenados pelo Banco de Portugal no âmbito do processo relacionado com o Banco Espírito Santo Angola (BESA), vai recorrer para o Tribunal da Concorrência, Regulação e Supervisão de Santarém.

Fonte da defesa do ex-administrador com o pelouro jurídico do BES, admite impugnar judicialmente pois “considera a condenação do Banco de Portugal uma infâmia no que toca ao seu constituinte”.

A defesa de Rui Silveira considera que a base que sustenta a condenação é uma comunicação interna a Amílcar Morais Pires, o administrador financeiro do BES, e que tinha o pelouro do BESA. Rui Silveira alertava  então para a necessidade de respeitar o dever de comunicação ao Banco de Portugal, se as averiguações que estavam em curso no BESA levassem ao apuramento de factos irregulares suscetíveis de constituírem um risco para o BES.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Relacionadas

Morais Pires: “Vou recorrer desta decisão do Banco de Portugal”

O Banco de Portugal diz que ficou provado que os antigos administradores do BES atuaram de forma dolosa para esconder os problemas que o BESA enfrentava. Morais Pires foi multado em 1,2 milhões e vai recorrer para o Tribunal de Santarém.

Ricardo Salgado vai recorrer da condenação do Banco de Portugal

“Face à injustiça desta decisão do regulador”, a defesa de Ricardo Salgado “interporá recurso para os Tribunais, ainda na esperança de que o Estado-de-Direito não cederá a pressões de qualquer espécie”.

Ricardo Salgado condenado a pagar 1,8 milhões no caso BES Angola

De acordo com o Expresso, a acusação terá provado que Ricardo Salgado e Morais Pires esconderam a verdadeira situação do BES Angola.
Recomendadas

Premium‘Naming’ do Estádio da Luz vale 50 milhões de euros por cinco anos

É com estes valores base que o Sport Lisboa e Benfica aceita negociar a venda do nome do Estádio da Luz, de acordo com informação recolhida pelo Jornal Económico junto do departamento de comunicação do clube encarnado.

PremiumValadas Coriel vai apostar na assessoria a negócios de arte

A sociedade de advogados liderada por João Valadas Coriel tornou-se em 2018 na segunda portuguesa a ter presença na Costa do Marfim, em parceria com o escritório de Eric Kondo.

PremiumFórum Capitalizar fez radiografia ao investimento em Portugal

Investimento nas empresas tem de duplicar para o país atingir a meta de crescimento de 2,2% do PIB. Descapitalização da economia e crédito malparado obstam ao financiamento às empresas.
Comentários