Rússia e NATO trocam expulsões e tensão aumenta

O pessoal da missão militar da NATO em Moscovo vai ter de abandonar o país, como retaliação às anteriores expulsões de membros da missão russa junto da NATO.

Russian Foreign Minister Sergei Lavrov speaks during a news conference after a meeting with his counterparts Walid al-Muallem from Syria and Mohammad Javad Zarif from Iran in Moscow, Russia, October 28, 2016. REUTERS/Sergei Karpukhin

No início deste mês, a NATO expulsou oito membros da missão russa junto da aliança por alegadamente serem membros não declarados da polícia secreta. Agora, como retaliação, o governo de Vladimir Putin decidiu suspender as atividades da sua missão diplomática na NATO e fechar os escritórios da aliança em Moscov.

As medidas, anunciadas esta segunda-feira pelo ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergey Lavrov, devem levar as relações entre Moscovo e a NATO para um novo patamar de tensão. “Após certas medidas tomadas pela NATO, as condições básicas para um trabalho comum deixaram de existir”, disse Lavrov, citado por vários jornais.

O ministro afirmou que, a partir de novembro, o contacto entre a aliança e Moscovo passará a ser feito por via da embaixada russa em Bruxelas, a cidade europeia onde está situado o quartel-general europeu da NATO – desde que nos anos 50 do século passado o então presidente francês, general De Gaulle, expulsou a missão da cidade de Paris.

A NATO disse que tomou nota dos comentários de Lavrov, mas não recebeu nenhuma comunicação oficial sobre as questões levantadas.

A quando da expulsão dos russos, Moscovo disse que essa decisão destruiria qualquer possibilidade de as relações entre as duas partes virem a normalizar-se. O desfecho decidido pela Rússia vem confirmar o aumento da tensão, que já se antevia.

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que as expulsões agora decididas por Moscovo não estão relacionadas com um evento em particular, mas com uma determinada postura por parte da Rússia. E afirmou que a organização precisa de estar vigilante face às atividades “malignas” da Rússia.

Stoltenberg citou o aumento das posições militares da Rússia ao longo da fronteira com a Ucrânia e o que ele disse serem violações do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) como evidência de “ações agressivas” que devem continuar a ser monitorizadas.

O Conselho NATO-Rússia, criado há cerca de duas décadas como forma de promover a cooperação em áreas de segurança comum, está agora colocado em causa, depois de ter sido ‘bombardeado’ por Moscovo com ações que a NATO considerou fortemente contestáveis. A Anexação da Crimeia em 2014 terá sido o ponto máximo da fricção – mas o envolvimento na Ucrânia e o apoio ao ditador bielorrusso têm sido outros pontos de grande desacordo entre as duas partes. Aliás, desde o episódio da Crimeia que o Conselho está praticamente desativado.

Recomendadas

Nações Unidas homenageiam Jorge Sampaio esta segunda-feira

A cerimónia, organizada pela Aliança das Civilizações, de que Sampaio foi o primeiro alto representante, e pela missão portuguesa na ONU, é “assumida por todos os países das Nações Unidas pela relevância das funções” que Jorge Sampaio exerceu na organização e pelos resultados do seu trabalho no âmbito das Nações Unidas”, disse à Lusa o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, em declarações por telefone desde Nova Iorque.

Joe Biden despede-se de Bob Dole: “Herói de guerra, um dos melhores da sua geração e para mim, um amigo”

Numa mensagem, o presidente dos EUA referiu-se a Bob Dole como um político “como poucos o foram na nossa história”. “Um herói de guerra e alguém que estava entre os melhores da Grande Geração. E para mim, ele era também um amigo”.

Morreu Bob Dole, candidato presidencial republicano na reeleição de Bill Clinton

Dole foi senador do estado do Kansas, o seu estado natal, durante 27 anos e em 1996 foi o candidato presidencial republicanos nas eleições em que o democrata Bill Clinton conseguiu obter a reeleição como presidente dos EUA. Morreu hoje aos 98 anos.
Comentários