SAD do Futebol Clube do Porto regista prejuízo de 28,444 milhões de euros

Ainda assim, os ‘dragões’ terminaram o ano fiscal concluído a 30 de junho de 2018, com uma melhoria face aos valores registados no período homólogo (-35,3 milhões). Para isso contribuiram o aumento das receitas do clube portista.

A SAD do Futebol Clube do Porto conclui o ano fiscal encerrado a 30 de junho deste ano, com um prejuízo de 28,444 milhões de euros, segundo revela o comunicado enviado esta quinta-feira, 11 de outubro, dos portistas à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Apesar de negativo, este resultado “segue a tendência que a Sociedade se comprometeu a seguir, e respeita o compromisso assumido com a UEFA no caminho para o equilíbrio nas suas contas de exploração”, lê-se no comunicado.

Os ‘dragões’ sublinham que este valor representa uma melhoria face aos registados no período homólogo (-35,3 milhões). Para isso contribuiram o aumento das receitas do clube portista. Sem contar com os proveitos de passes dos jogadores, a SAD ‘azul e branca’ encerrou com um volume de negócios de 105,8 milhões de euros, mais 7% do que no último ano.

O EBITDA da SAD portista cresceu 22% passando dos 22,751 milhões de euros, para os 27,921 milhões. Com exceção dos direitos de transmissão/distribuição televisiva, onde o encaixe financeiro diminuiu 5,6% caíndo dos 23,932 milhões, para os 23,712 milhões de euros. Todas as restantes rubricas como o merchandising, bilheteira e provas da UEFA, registaram aumentos dos valores gerados.

Recomendadas

“Lisboa é das poucas capitais onde se ‘respira’ surf”

Francisco Rodrigues, presidente da Associação Nacional de Surfistas, foi o convidado na última edição do “Jogo Económico”, no qual destacou o impacto económico da modalidade em Portugal e os desafios a serem cumpridos nos próximos anos.

Bilhetes para o futebol estão mais caros em Itália. E a culpa é de um português

A claque da Juventus já apresentou várias queixas, e através de um comunicado, explicaram que vão aos jogos mas com desagrado, já que ver a ‘Vecchia Signora’ fora de casa custa 100 euros.

Já viu o Jogo Económico? De Gedson a Jovane: como potenciar os jovens talentos do futebol português

Nesta edição, debatemos como os clubes podem rentabilizar os jovens talentos do futebol português. João Marcelino, Luís Miguel Henrique e o convidado Luís Cristóvão, analista de futebol, dão a sua opinião sobre este tema.
Comentários