SAD do Futebol Clube do Porto regista prejuízo de 28,444 milhões de euros

Ainda assim, os ‘dragões’ terminaram o ano fiscal concluído a 30 de junho de 2018, com uma melhoria face aos valores registados no período homólogo (-35,3 milhões). Para isso contribuiram o aumento das receitas do clube portista.

A SAD do Futebol Clube do Porto conclui o ano fiscal encerrado a 30 de junho deste ano, com um prejuízo de 28,444 milhões de euros, segundo revela o comunicado enviado esta quinta-feira, 11 de outubro, dos portistas à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Apesar de negativo, este resultado “segue a tendência que a Sociedade se comprometeu a seguir, e respeita o compromisso assumido com a UEFA no caminho para o equilíbrio nas suas contas de exploração”, lê-se no comunicado.

Os ‘dragões’ sublinham que este valor representa uma melhoria face aos registados no período homólogo (-35,3 milhões). Para isso contribuiram o aumento das receitas do clube portista. Sem contar com os proveitos de passes dos jogadores, a SAD ‘azul e branca’ encerrou com um volume de negócios de 105,8 milhões de euros, mais 7% do que no último ano.

O EBITDA da SAD portista cresceu 22% passando dos 22,751 milhões de euros, para os 27,921 milhões. Com exceção dos direitos de transmissão/distribuição televisiva, onde o encaixe financeiro diminuiu 5,6% caíndo dos 23,932 milhões, para os 23,712 milhões de euros. Todas as restantes rubricas como o merchandising, bilheteira e provas da UEFA, registaram aumentos dos valores gerados.

Recomendadas

Sporting não recorre de decisão do processo e-toupeira

Além do Ministério Público, só António Perdigão da Silva, ex-árbitro e assistente no processo apresentaram recurso da decisão do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC).

Futebol alemão tem receita recorde e cria impacto de mais de mil milhões na economia germânica

Na Bundesliga, 17 dos 18 clubes tiveram receitas superiores a 100 milhões de euros. Estudo aponta que as duas ligas profissionais do país geram 55 mil empregos diretos e indiretos.

Hoje há “Jogo Económico”. Existe verdade desportiva na Liga portuguesa de futebol?

Pode a Liga NOS ser um produto vendável e rentável enquanto o ruído do futebol português colocar em causa a verdade desportiva? O jornalista Rui Santos vem esta sexta-feira ao “Jogo Económico” para debater com Luís Miguel Henrique e João Marcelino.
Comentários