Saiba como preencher uma queixa no livro de reclamações

Há vários meios para reclamar: o contacto direto com o vendedor/prestador de serviços, o envio de carta registada com aviso de receção ou a queixa no livro de reclamações.

Quando os seus direitos forem defraudados, o consumidor deve o mais rápido possível. Quanto mais tempo demorar a reclamar, menor será a expectativa de resolução do conflito com o vendedor/prestador de serviços.

Há vários meios para reclamar: o contacto direto com o vendedor/prestador de serviços, o envio de carta registada com aviso de receção ou a queixa no livro de reclamações.

Os estabelecimentos com atendimento ao público são obrigados a possuir o livro de reclamações e devem afixar em local bem visível e com carateres legíveis um letreiro a informar que o estabelecimento dispõe de livro de reclamações. Estão ainda obrigados a manter por um período mínimo de três anos, um arquivo organizado dos livros de reclamações.

O livro de reclamações deve ser facultado sempre que o consumidor peça. Se o negarem, deve solicitar a presença de uma autoridade policial para que lhe seja entregue o livro e para que se tome nota da ocorrência.

Como usar o livro:

Para registar uma reclamação, o consumidor preencher de forma correta e completa os seus elementos de identificação, endereço e a identificação do vendedor. Deverá descrever claramente os factos que motivaram a reclamação.

Dicas para preencher corretamente a queixa:

  • Leia as instruções;
  • Escreva com letra maiúscula;
  • Preencha todos os campos da folha;
  • Na descrição dos factos seja conciso, objetivo e não exceda a caixa de texto disponível;
  • Insira a data e assine a folha de reclamação.

As folhas de reclamação são em triplicado. O original da folha destina-se a ser remetido à entidade reguladora do setor em causa. O duplicado deve ficar na posse do consumidor. O triplicado deve permanecer no livro.

Uma vez preenchida a reclamação, o vendedor ou prestador de serviços deve entregar o duplicado ao consumidor. O vendedor é obrigado a enviar, no prazo de 10 dias úteis, a reclamação à entidade reguladora. No entanto, a lei admite que o consumidor remeta diretamente o duplicado da folha à entidade competente, bastando que o transforme em envelope mensagem.

 

Ler mais
Recomendadas

Baixa de Lisboa, Av. Liberdade e Almirante Reis sem novas licenças de alojamento local

BE e PS chegaram a acordo para o Regulamento do Alojamento Local de Lisboa, que deverá passar a incluir o eixo Baixa/Avenida da Liberdade/Avenida Almirante Reis nas zonas de contenção, assegurando a interdição de novas licenças.

Taxas de juro baixas: saiba como renegociar o spread do crédito à habitação

Fale com o seu gestor de conta para baixar o spread do seu crédito à habitação. Se o seu banco não aceitar, haverá outra instituição bancária que gostará de receber o seu crédito à habitação. Conheça estas e outras dicas de João Raposo, economista do Grupo Reorganiza.

Spread do crédito à habitação em mínimos de 10 anos. Chegou a altura de renegociar com o banco

A descida relevante do crédito à habitação significa que este é o momento ideal para os consumidores com créditos à habitação reavaliarem a sua situação financeira, especialmente se contraíram o crédito numa altura em que o spread estava elevado.
Comentários