Salão Imobiliário de Portugal vai receber mais investidores estrangeiros

A 21ª edição do SIL tem início esta quarta-feira, 3 de outubro e decorre até ao próximo domingo, 7 de outubro, na Feira Internacional de Lisboa (FIL) e tem como objetivo alcançar os 65 mil visitantes.

A 21ª edição do Salão Imobiliário de Portugal (SIL) irá receber mais buyers internacionais (150), dado que o investimento estrangeiro representou 20% do total das transações habitacionais. O evento arranca esta quarta-feira, 3 de outubro e decorre até domingo, 7 de outubro, na Feira Internacional de Lisboa (FIL), localizada no Parque das Nações.

Este número de investidores mais do que duplica, quando comparado com a edição de 2016 (70) e regista um crescimento de mais 50 buyers internacionais, face aos 100 de 2017. Tendo em conta este crescimento, o SIL preparou este ano um espaço para encontros de investidores e reuniões privadas com os hosted buyers.

.No total os 40.000 mil m2 vão ser divididos por quatro pavilhões compostos por quatro feiras: “Intercasa” no pavilhão 1; Salão Imobiliário de Portugal nos pavilhões 2 e 3; Lisboa Design Show (LxD) e Vintage Festival, no pavilhão 4.

Para este ano a organização vai contar com 350 expositores, mais 20 do que no último e 90 do que em 2016, além de ter como objetivo atingir os 65 mil visitantes ao longo dos cinco dias de exposição.

A edição deste ano irá trazer a Região Autónoma da Madeira e a cidade do Seixal, como convidadas do evento, de modo a poderem mostrar os seus projetos.

Recomendadas

VIC Properties compra terrenos da Matinha para construir mais de duas mil habitações

Com uma área de aproximadamente 20 hectares, num total de 260 mil metros quadrados previstos de área de construção, a empresa prevê que as obras sejam iniciadas no início de 2020, e os trabalhos realizados ao longo dos anos seguintes.

Estas são as três zonas de melhor investimento no alojamento local em Lisboa

São Sebastião da Pedreira, São José e Santa Justa revelaram o melhor potencial de investimento numa análise da Hostmaker. Em sentido oposto, as zonas de Belém e São Miguel dos Olivais foram consideradas as menos atrativas devido à reduzida ocupação anual e aos preços por noite praticados.

Ocupação do mercado de escritórios em Lisboa aumentou 64% em maio

Em termos homólogos o crescimento foi de 11%, registando um total de 19 operações e uma área média de 940 metros quadrados. A nível trimestral verificaram-se 74 operações e uma área média de 953 metros quadrados.
Comentários