Santana Lopes apela a “grande participação” dos militantes nas eleições internas

“Não há duas sem três, espero que o PPD/PSD vá para a terceira vitória consecutiva em legislativas, espero que a próxima seja com maioria absoluta”, desejou Santana.

Ler mais

O candidato à liderança do PSD Pedro Santana Lopes apelou hoje a uma grande participação dos militantes nas eleições internas e afirmou que o seu desejo é ganhar as próximas legislativas, se possível com maioria absoluta.

“Quero acima de tudo apelar aos militantes do PPD/PSD para que participem em massa nestas eleições, faça sol ou faça chuva, e deem ao país uma grande prova de força e um grande sinal de vitalidade”, afirmou, pouco depois de exercer o seu direito de voto nas eleições diretas para a escolha do presidente do PSD, cerca das 14:40.

Questionado se está confiante nos resultados, Santana Lopes respondeu afirmativamente, mas disse que, em dia de eleições, prefere afirmar-se “confiante no futuro do partido para as grandes batalhas dos próximos dois anos”.

Confrontado com as palavras proferidas, poucos minutos antes, pelo ainda presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, de que o partido terá de ter um resultado significativo se quiser voltar ao poder, Santana Lopes disse estar consciente dessa “grande responsabilidade”.

“Não há duas sem três, espero que o PPD/PSD vá para a terceira vitória consecutiva em legislativas, espero que a próxima seja com maioria absoluta”, desejou.

Santana Lopes cruzou-se com Passos Coelho, que votou cerca de 10 minutos antes num hotel em Lisboa onde estão instaladas as secções de voto da capital, e os dois cumprimentaram-se amigavelmente.

Questionado se, se vencer, conta com o seu adversário nestas eleições, Rui Rio, Santana disse contar “com todos”.

“A minha tarefa a partir de logo à noite é unir, para depois ganharmos os combates externos (…) Ficaria muito contente se hoje houver uma grande percentagem dos inscritos a votar”, afirmou, reiterando o seu apelo à participação.

Relacionadas

Santana Lopes: “Estou muito confiante no futuro do meu partido”

O antigo primeiro-ministro votou em Lisboa logo a seguir ao social-democrata que abandona a liderança, Pedro Passos Coelho. O opositor Rui Rio deverá votar por volta das 16h30, no Porto.
Recomendadas

“Troika deixou marcas no mercado de trabalho”, realça Secretário de Estado do Emprego

Num discurso onde traçou o cenário do emprego em Portugal nos últimos três anos, com ênfase para a queda da taxa de desemprego e aumento do emprego criado, Miguel Cabrita chamou ao Governo parte dos louros.

CDS vai pedir uma comissão de inquérito ao ‘caso Tancos’

Proposta dos centristas surge depois da Polícia Judiciária ter detido hoje militares da Polícia Judiciária Militar e da Guarda Nacional Republicana e um outro suspeito no âmbito do caso do roubo de Tancos.

“Ele deu uma facada e rodou. Para matar, mesmo”. Bolsonaro fala pela primeira vez depois do ataque

”Ele deu uma facada e rodou. Para matar mesmo. O cara sabia o que estava fazendo. Por milímetros não atingiu veias que eu não teria como resistir”, revelou o candidato sobre o ataque de foi alvo.
Comentários