Santana Lopes considera que falsas presenças na Assembleia são um “insulto à democracia”

O partido diz que estas situações têm vindo a enfraquecer o Parlamento e defende que “importa apurar a verdade e agir sem contemplações”.

O Aliança, novo partido fundado por Pedro Santana Lopes, considera que as falsas presenças e as votações fraudulentas na Assembleia da República são um “insulto à democracia”. O partido diz que estas situações têm vindo a enfraquecer o Parlamento e defende que “importa apurar a verdade e agir sem contemplações”.

“Consideramos um insulto à Democracia aquilo que se tem passado na Assembleia da República com falsas moradas, falsas presenças e falsas votações”, afirma o partido, num post publicado no Facebook.

O Aliança defende que a situação das presenças “fantasma” e a situação das moradas falsas e pagamentos indevidos por viagens “contribuem para o descrédito do Parlamento” e que, por isso, “exigem um procedimento imediato de clarificação e imposição da Ética e da legalidade”. “Quem está na vida política e representa os seus concidadãos tem de dar o exemplo do respeito pela Lei e, também, da Moral”, sublinha a Comissão Instaladora Nacional do partido.

“Estas situações só contribuem para afastar os cidadãos da Política e também ajudam a explicar o aumento da abstenção, por exemplo, de 17,3%, nas legislativas de 1979 para 44,14%, nas legislativas de 2015”, afirma. “Queremos mudar este paradigma e de uma vez por todas limpar as instituições deste estado degradado em que se encontram, devolvendo-lhes a credibilidade e respeito que devem merecer”.

Recomendadas

Marques Mendes antevê acusações de gestão danosa da CGD nos anos 2005 a 2008

Segundo o comentador, o facto de Ministério Público ter chamado a si a auditoria às gestões anteriores da CGD significa que se prepara para acusar gestores de gestão danosa. Marques Mendes revelou ainda que a auditoria está também no BCE. Outro tema em análise foi a OPA à EDP, a propósito da visita de Xi Jinping a Portugal. Marques Mendes diz que a OPA vai morrer de forma “natural”.

Presidente da Liga dos Bombeiros garante que socorro às populações não está em causa

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LPB), Jaime Marta Soares, garantiu hoje que a ausência de reporte à Proteção Civil não compromete o socorro à população e devolveu a acusação de irresponsabilidade ao ministro da tutela, Eduardo Cabrita.

Marcelo pede a Bombeiros e Governo que evitem dificultar o diálogo

O Presidente da República apelou hoje, a propósito do conflito entre Liga dos Bombeiros e Governo, para que todos os intervenientes evitem afirmações públicas que dificultem o diálogo neste “domínio muito sensível” da Proteção Civil.
Comentários