Santander dificulta acesso a isenções de comissões e aumenta custo de cartões

O Banco Santander prevê novos encargos para os seus clientes já em 2019.

Cristina Bernardo

O Banco Santander prevê novos encargos para os seus clientes já em 2019, nomeadamente o aumento da comissão de disponibilização de alguns cartões de débito e no acesso a isenções nas comissões de manutenção de contas à ordem e contas-ordenado, noticia o “Jornal de Negócios” esta quarta-feira.

Uma nova alteração ao preçário do banco já foi publicado no respetivo sítio. Em causa estão as comissões de disponibilização de cartão de débito, que antes eram conhecidas como anuidades, de dez cartões de débito. Assim, a partir de 7 de janeiro, a maioria dos cartões terá um custo anual de 18,64 euros, incluindo o imposto do selo, representando um aumento de 33,6%, em média, na despesa que os clientes do banco têm.

Sobre as condições de acesso à isenção da comissão de manutenção nas contas à ordem e também nas contas-ordenado, contas acionista e conta-empresário, a alteração prende-se com o saldo médio trimestral de recursos. Ou seja, até agora, os clientes conseguem isenção se tiverem um saldo médio trimestral de recursos superior a cinco mil euros, mas a partir de 7 de janeiro o caso muda de figura, uma vez que esse montante duplica.

Assim, só os clientes com um saldo médio trimestral de recursos superior a dez mil euro vão conseguir ficar isentos destas comissões.

Recomendadas

Governo avança com lei que permite aos bancos contabilizar como custo fiscal as novas imparidades

“A presente alteração visa sanar a divergência entre os sistemas contabilísticos e fiscais no que respeita ao tratamento de perdas por imparidades associadas a operações de crédito. Prevêem-se ainda regras disciplinadoras para as perdas por imparidade registadas nos períodos de tributação com início anterior a 1 de janeiro de 2019, e ainda não aceites fiscalmente”, diz o último comunicado do Conselho de Ministros

BPI vence Prémio Cinco Estrelas na categoria de Banca Digital

O BPI é líder na penetração do homebanking, com quase metade dos seus clientes particulares a serem utilizadores deste canal. O mesmo acontece no caso dos clientes empresariais, em que 84,5% usam os canais digitais do Banco. Isto segundo o estudo BASEF Banca relativo ao período de fevereiro a agosto de 2018.

BCP é a Escolha do Consumidor 2019 na categoria Grandes Bancos

O Banco registou o maior grau de satisfação dos inquiridos face à concorrência, com 7,33 (de 1 a 10), terminando com um índice de satisfação de 71,69% entre os dois mil consumidores consultados.
Comentários