São as novas empresas que mais crescem, revela estudo da Iberinform

Insolvências com subida de 12,8% em relação a outubro de 2017, enquanto as constituições de novas empresas aumentaram 8,9%. No entanto, no acumulado, são as novas empresas que mais crescem.

Apesar do número de insolvências ter aumentado em outubro deste ano, no acumulado, são as novas empresas que mais crescem, revela uma análise da Iberinform. Os dados são do novo estudo conduzido pela empresa e que foi divulgado esta quinta feira, 8 de outubro.

Segundo o estudo, as insolvências – a impossibilidade de liquidar as dívidas da empresa – aumentaram com 732 empresas insolventes. Comparativamente a 2017, o aumento foi de 12,8%, ou seja, mais 83 empresas insolventes no período homólogo de 2017. O acumulado também apresenta valores acima dos verificados em 2017, com mais 133 insolvências (2,6%).

No entanto, em outubro houve um aumento nas constituições que evoluíram de 3.378 empresas em 2017 para 3.680 em 2018, mais 302 empresas em termos homólogos (8,9%). No acumulado, regista-se um aumento de 9,9% para um total de 37.825 novas empresas.

Os dados revelam também que até final de outubro, as ações de insolvência requerida diminuíram 1,3%, enquanto que as apresentações à insolvência pelas próprias empresas caíram 0,7%.

No fundo, os encerramentos com este tipo de plano diminuíram 33,7% e as declarações de insolvência, ou seja, conclusão de processos, aumentaram de 2.687 em 2017 para 2.875 em 2018.

Lisboa e Porto mantêm a liderança com totais de 1.393 e 1.229 insolvências, respetivamente. E relativamente aos números de constituições, o número mais significativo verifica-se em Lisboa, com 13.164 empresas, e um aumento de 14,3% face a 2017.

Ler mais
Recomendadas

Autoridade da Concorrência defende que Banco de Portugal venha a ser uma entidade financiadora

Há um aspeto positivo, diz, que é o do “o BdP vir a ser incluído nas entidades que financiam a AdC” e, defende, “outras entidades poderiam ser consideradas”. O administrador da Autoridade da Concorrência (AdC) Nuno Rocha de Carvalho, disse esta quinta-feira na COFMA que a “breve trecho podemos vir a ter uma decisão no  processo de cartel na banca”.

Antonoaldo Neves: “Não é a primeira vez que a TAP paga prémios em anos de prejuízo”

A comissão executiva da TAP esta quinta-feira ser ouvida na Assembleia da República sobre prémios polémicos atribuídos a trabalhadores, após terminar o exercício de 2018 com prejuízos.

Prémios polémicos levam Comissão Executiva da TAP ao Parlamento. Assista ao debate

A comissão executiva da TAP está a ser ouvida na Assembleia da República sobre prémios polémicos atribuídos a trabalhadores, após terminar o exercício de 2018 com prejuízos. O requerimento para ouvir a comissão executiva da transportadora aérea foi apresentado pelo Bloco de Esquerda (BE), que classificou como “inaceitável” a decisão.
Comentários