Secretário da Educação garante que não existiu renovação da concessão da Escola Hoteleira

O governante disse ainda que o executivo está disponível para manter a escola concessionada ou então assumir o controlo.

O secretário regional da Educação, Jorge Carvalho, garantiu que não existiu uma renovação na concessão da Escola Hoteleira da Madeira, durante a sessão plenária que decorreu esta quarta-feira na Assembleia Legislativa da Madeira.

A Escola Hoteleira da Madeira está concessionada até 2021. O que existiu perante um incumprimento do concessionário o Governo procurou resgatar essa concessão. O concessionário colocou a decisão em tribunal. O Governo entendeu, enquanto não houver decisão, revogar a decisão”, explicou Jorge Carvalho, na Assembleia Legislativa da Madeira.

Para o responsável pela tutela da Educação na Madeira a Escola Hoteleira “é estratégica” tendo em conta o relevo que assume na economia.

“Estamos disponíveis para manter a escola concessionada ou o Governo Regional assumir o controlo. O que nos interesse é se o produto é de qualidade e se temos serviços de qualidade para a população”, clarificou o governante.

As concessões foram um debate que tomou parte da discussão plenária da Assembleia Regional desta segunda-feira. António Lopes da Fonseca, do CDS-PP considerou que as concessões já atravessaram várias fases desde as “trevas, sombras”, e que agora com o vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, se começa a “vislumbrar luz para resolver” alguns problemas das concessões.

O centrista afirmou ainda que é contra o regresso da Escola Hoteleira ao domínio publico.

No debate plenário o PSD, através de Carlos Rodrigues, referiu que o BE possui várias incoerências e demagogias, relativamente às concessões lembrando que na República, o Governo apoiado pelos bloquistas gasta milhões em empresas como a CP, Metro e Carris.

As parcerias publico-privadas (PPP) foram consideradas no entender de Roberto Almada, do BE, sorvedores de dinheiro público.

Durante o debate na Assembleia Regional o secretário regional do Equipamento e das Infraestruturas, Amílcar Gonçalves, vincou que os custos operacionais das sociedades de desenvolvimento “estão equilibradas” e possuem um “quadro bem equilibrado” de concessionários.

“Temos um bom projecto e bons investimentos nas sociedades de desenvolvimento” reforçou o governante. Amílcar Gonçalves disse ainda que a renegociação da Via Litoral trouxe ganhos de 25%, e que as PPP nas estradas são “correctas e equilibradas”.

Ler mais
Recomendadas

Crédito vencido de sociedades não financeiras em descida na Madeira

O crédito vencido das sociedades não financeiras da Madeira, caiu 3,2%, no espaço de um ano, de acordo com os dados da Direcção Regional de Estatística (DREM). Em 2017 o rácio tinha ficado nos 18% enquanto que em 2018 se cifrou nos 14,8%. esta foi uma queda anual abrupta tendo em conta que por exemplo, […]

Costa considera prioritário tratar dos feridos e apurar causas do acidente na Madeira

O primeiro-ministro expressou solidariedade para com a Madeira, acrescentando que é preciso apurar as causas do acidente, mas que este não mancha o prestígio internacional da Madeira como grande destino turístico.

Margarida Pocinho lamenta abandono de jovens da universidade por dificuldades económicas

A candidata do CDS-PP ao Parlamento Europeu defendeu também a construção de uma nova residência universitária bem como a atracção de estudantes e professores do estrangeiro e do território nacional, e que isso deve ser feito através de fundos comunitários.
Comentários