Segurança é “inegociável” para a TAP, diz Antonoaldo Neves

O responsável pela TAP respondia assim a um desafio colocado pelo vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, que momentos antes havia pedido a colaboração da TAP para a revisão dos limites de operacionalidade do Aeroporto da Madeira Cristiano Ronaldo e uma atenção para com os preços das tarifas aéreas.

O Diretor Executivo (CEO) da Tap Air Portugal, Antonoaldo Neves, disse hoje que a questão da segurança é “inegociável” para a Direção da empresa, apesar de estar aberta a uma eventual revisão dos limites operacionais do Aeroporto da Madeira.

“Não há nada mais importante para uma empresa de bandeira do que operar de uma forma segura e, segurança, é inegociável para a TAP”, disse após a assinatura de um protocolo de colaboração entre o Governo Regional da Madeira e a transportadora aérea portuguesa para promoção das comemorações, em curso, dos 600 anos da descoberta da Madeira e do Porto Santo que se estenderão até 2019.

Antonoaldo Neves realçou que a TAP “tem o seu Sistema Padrão de Operação” e está “confortável com os níveis de segurança que pratica na Madeira”.

O responsável respondia assim a um desafio colocado pelo vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, que momentos antes havia pedido a colaboração da TAP para a revisão dos limites de operacionalidade do Aeroporto da Madeira Cristiano Ronaldo e uma atenção para com os preços das tarifas aéreas.

“O presidente que aqui vos está falando não vai abrir mão da segurança por um centavo que seja, a segurança não tem preço, a vida das pessoas não tem preço”, observou.

“Estaremos – continuou – abertos a discutir esse assunto com calma, sem paixão, nem emoção para perceber como é que a gente pode fazer uma operação ainda mais segura, aqui, na Madeira”.

Antonoaldo Neves revelou que, entre janeiro e maio, a TAP registou 192 cancelamentos na linha com a Madeira, 139 dos quais devido a questões meteorológicas e que, em igual período de 2017, os cancelamentos foram 33, dos quais 22 foram devido à meteorologia.

O CEO da TAP revelou ainda que, entre janeiro e maio de 2018, a companhia transportou mais 18% de passageiros que no período homólogo de 2017, ou seja, mais 50 mil pessoas, 80% das quais turistas vindos de várias partes do mundo.

A secretária regional do Turismo e Cultura, Paula Cabaço, realçou a assinatura do protocolo, salientando ser “uma excelente oportunidade de promoção da Madeira” nos canais de comunicação da TAP.

A Região Autónoma da Madeira e a TAP reconhecem, no protocolo hoje assinado, “a importância histórica e cultural das Comemorações dos 600 anos da Descoberta das Ilhas da Madeira e do Porto Santo”.

“Pela relevância, a TAP compromete-se a analisar os pedidos referentes à deslocação de personalidades que, pela sua relevância e reconhecimento a nível artístico, cultural e intelectual, sejam convidadas a participar nas atividades organizadas a nível regional ou nacional no âmbito das Comemorações dos 600 Anos”.

A TAP compromete-se ainda a “promover a imagem e o conceito das Comemorações dos 600 Anos através da inclusão do símbolo e das iniciativas incluídas no calendário oficial das comemorações nos seus canais de comunicação”.

O Governo Regional, por sua vez, assume o compromisso de “conferir à TAP o estatuto de parceiro oficial das Comemorações dos 600 Anos” e de inserir o logótipo da TAP ” em todo o material de comunicação relativos aos eventos e iniciativas realizadas no âmbito da parceria”.

A propósito do Protocolo de Colaboração, Antonoaldo Neves revelou que a companhia vai lançar um concurso de ideias para “desenhar uma aeronave” com a inscrição dos 600 anos da Madeira e Porto Santo.

Ler mais

Recomendadas

Carga fiscal em Portugal subiu para 35,4% do PIB em 2018

A carga fiscal em Portugal subiu dos 34,3% do PIB em 2017 para os 35,4% em 2018, o valor mais elevado desde 2000, acima da média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

Metade das rendas do programa de rendas acessíveis estão abaixo dos 500 euros

O Governo espera dentro de dois anos que 20% dos contratos de arrendamento firmados serão feitos no âmbito do PAA. A maioria dos contratos estão a ser assinados em Lisboa, diz a tutela.

Portugal cresce acima da zona euro que estabilizou no terceiro trimestre

A contribuir para esta evolução esteve o aumento de 0,5% do consumo das famílias na zona euro e na União Europeia a 28, enquanto o investimento avançou 0,3%, uma queda abrupta após ter aumentado 5,7% na zona euro e 4,3% na UE28 no trimestre anterior.
Comentários