Segurança Social diz que paga subsídio de desemprego a 25 de agosto

Após queixas de atrasos no pagamento de subsídios de desemprego, o ministério liderado por Vieira da Silva esclareceu, ao Jornal Económico, que não existe uma data legal fixa para o pagamento e que está a cumprir o calendário estipulado para Agosto.

Hugo Correia/Reuters

A Segurança Social garante que vai processar o pagamento dos subsídios de desemprego a 25 de agosto, após queixas de vários beneficiários da prestação social por alegados atrasos no pagamento deste mês.

As queixas de atrasos no pagamento do subsísido de desemprego foram feitas no Portal Queixa e em grupos na rede social Facebook.

Fonte oficial do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social garantiu, em declarações ao Jornal Económico, que o pagamento se fará dentro do calendário previsto para o mês de agosto.

A mesma fonte esclareceu que não existe uma data legal fixa para o pagamento dos subsídios de desemprego e que o ministério disponibiliza todos os meses na página de internet da Segurança Social, responsável pela gestão do pagamento, o calendário de pagamentos dos subsídios sociais.

O calendário indica que o primeiro processamento do subsídio de desemprego se registou a 16 de agosto e o segundo processamento será feito a 25 de agosto.

“A Segurança Social tem uma data fixa mensal para o pagamento dos subsídios sociais e familiares e pensões, permitindo um melhor planeamento e uma salvaguarda para os beneficiários, na medida em que sabem exatamente o dia em que recebem”, refere o organismo no site.

Ler mais
Relacionadas

Desempregados inscritos no IEFP descem 16,4% face ao ano passado

Há menos 1.914 desempregados inscritos no IEFP face a junho (-0,5%) e menos 81.388 desempregados face a julho de 2016 (-16,4%). Os desempregados com cursos superiores aumentaram em julho face a junho.
Recomendadas

Vítor Bento diz que o crescimento económico vai desacelerar na próxima década

O economista lembrou a instabilidade fiscal e os impostos especiais sobre lucros que “estão a desincentivar a acumulação de capital e o investimento e nós precisamos de aumentar o capital para aumentar a produtividade, logo essa política não favorece o aumento de salários. Essa hostilidade ao capital é a promoção da política de salários baixos”.

Turismo: dormidas de residentes crescem 24,4% no Algarve

O crescimento expressivo do mercado interno faz com que em dez meses de 2018 já se tenham realizado mais dormidas de turistas nacionais (mais de 4,1 milhões) do que em todo o ano 2017 (perto de 4 milhões).

Associação de Gestão de Resíduos apoia projetos de economia circular com 18 mil euros

Destinada a instituições de ensino superior e de investigação – alunos ou investigadores –, ao sector empresarial, a associações de desenvolvimento, a instituições sociais, à comunidade artística e a outras entidades e particulares, as candidaturas à Academia Electrão decorrem até 12 de abril.
Comentários