Senado norte-americano aprova nomeação de Brett Kavanaugh

Senado aprova Brett Kavanaugh para ser o juis do Supremo Tribunal de Justiça norte-americano depois de uma votação renhida do Comité Judicial do Senado.

O candidato ao Supremo Tribunal dos Estados Unidos, o juiz conservador Brett Kavanaugh, foi hoje aprovado pelo Comité Judicial do Senado numa votação preliminar e de recomendação, cabendo agora à câmara alta do Congresso norte-americano confirmar o nome do magistrado.

Esta votação, que estava inicialmente prevista para às 13:30 hora local (18:30 em Lisboa) mas que acabou por ser realizada com vários minutos de atraso, está envolta em forte polémica, uma vez que Brett Kavanaugh, um juiz conservador de 53 anos que foi apontado em julho passado pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, para ocupar um lugar na mais alta instância judicial norte-americana, está a ser acusado de má conduta sexual por pelo menos quatro mulheres.

Os 11 membros republicanos que compõem o comité votaram a favor da recomendação da confirmação de Kavanaugh no Senado. Os restantes elementos do comité, 10 democratas, opuseram-se à recomendação.

Um senador republicano, Jeff Flake, pediu, no entanto, que a votação final no Senado seja adiada cerca de uma semana, para permitir a abertura de um inquérito policial sobre as acusações que recaem sobre o juiz Kavanaugh.

Após a recomendação do Comité Judicial do Senado, cabe à câmara alta do Congresso dos Estados Unidos votar, em sessão plenária, a confirmação do magistrado.

Atualmente, os republicanos detêm uma estreita maioria no Senado, 51 lugares contra os 49 dos democratas.

Ler mais
Recomendadas

Canadá torna-se no segundo país a legalizar canábis para fins recreativos

Em Saint-Jean-de-Terre-Neuve, no leste do Canadá, a partir da meia-noite local (03:00 em Lisboa), dezenas de pessoas enfrentaram o frio durante várias horas para compraram os primeiros gramas da planta.

Donald Trump considera Fed a sua “maior ameaça”

A justificar a afirmação, o presidente norte-americano disse que as taxas de juro estão a subir muito depressa, apesar de admitir que a Reserva Federal é independente.

Christine Lagarde cancela viagem que incluía escala na Arábia Saudita

“A viagem da diretora ao Médio Oriente foi adiada”, disse na terça-feira um porta-voz do FMI numa breve declaração, sem mais explicações.
Comentários