Será o Facebook uma ‘máquina de persuasão’? Pioneiros criticam estratégia da rede social

O estudo “Psychological targeting as an effective approach to digital mass persuasión”, mostra como as ferramentas que o Facebook disponibiliza aos anunciantes transformaram a rede social numa ‘máquina de persuasão’.

Ler mais

O estudo “Psychological targeting as an effective approach to digital mass persuasión”, publicado esta terça-feira na revista académica PNAS (Proceedings of the National Academy of Sciences) mostra como as ferramentas que o Facebook disponibiliza aos anunciantes transformaram a rede social numa máquina de persuasão.

A investigação refere que através de três observações de campo, que atingiram mais de 3,5 milhões de indivíduos com propaganda psicologicamente filtrada, se descobriu que “combinar o conteúdo de recursos persuasivos com as características psicológicas dos indivíduos alterou significativamente o seu comportamento, conforme o que foi medido por cliques e compras”.

Segundo Sandra Matz, investigadora da Universidade de Columbia e autora da análise, o aconselhamento psicológico pode ser usado para explorar a fraqueza do caráter das pessoas e persuadi-las a agir contra o seu interesse. “Por exemplo: anúncios de casinos online podem ser direcionados para indivíduos que possuem traços psicológicos associados ao jogo”, argumentou à imprensa internacional, no lançamento do estudo.

Pioneiros do Facebook entre os críticos

Relativamente a este tema, o jornal espanhol El País vai mais longe e cita uma série de ‘pioneiros’ do Facebook que criticam esta característica de manipulação da rede social. Um dos exemplos é o do mentor de Mark Zuckerberg e um dos primeiros investidores, Roger MacNamee. O empresário acredita que o Facebook “coincidiu conscientemente a tecnologia com as técnicas persuasivas desenvolvidas por propagandistas e pela indústria do jogos, que ameaçar a saúde pública e a democracia”, conforme escreveu no The Guardian.

Já o primeiro presidente da rede social, Sean Parker, disse na semana passada que “só Deus sabe o que essa tecnologia está a fazer aos cérebros dos nossos filhos”, de acordo com as declarações divulgadas pelo matutino. Sean Parker admitiu publicamente que, quando a lançaram, todos sabiam que se estava a criar uma plataforma que aproveita as “fraquezas psicológicas humanas”.

Relacionadas
Sara Sampaio: “As redes sociais vieram dar uma voz para as modelos denunciarem abusos”
A supermodelo portuguesa falou na Web Summit sobre como usa a conta no Instagram para tentar convencer a indústria a proteger as modelos. Numa altura em que os escândalos relacionados com assédio já chegaram ao mundo da moda, Sampaio criticou os agentes, as revistas e as marcas por terem ignorado os abusos durante tanto tempo.
Chefe de campanha de Trump: “Ganhámos as eleições no Facebook”
Questionado sobre o que é que facilitará o trabalho da administração norte-americana em 2020, o estratega digital da campanha do presidente dos Estados Unidos, Brad Parscale, respondeu: “Continuar a tweetar”.
Recomendadas
Governo de Espanha pondera penalizar os proprietários de apartamentos vazios
No âmbito de uma reforma da Lei de Arrendamentos Urbanos, o Governo liderado por Pedro Sánchez pretende também aumentar a duração dos contratos de arrendamento e colocar no mercado mais de 20 mil imóveis de carácter social.
BCE confirma Luís Ribeiro como administrador do Novo Banco
Este é o administrador com a área comercial de retalho que já estava em funções na Comissão Executiva liderada por António Ramalho, e cuja avaliação estava em curso no BCE. O Novo Banco vai ainda ter um novo CFO, o irlandês Mark Bourke, e Jorge Cardoso fica com a área de banca de investimento.
Elisa Ferreira defende procedimentos especiais para insolvências de bancos de média dimensão
Como a resolução de um banco médio, mas com relevância sistémica a nível local, tem um impacto social e económico considerável “precisamos de discutir alternativas para os bancos médios e pequenos que saem do mercado, em vez de avançar em direção a uma nova camisa de forças” global, defendeu a vice-governadora do Banco de Portugal em Basel, Suíça.
Comentários