Setor da construção em Portugal registou uma travagem a fundo em outubro

A AICCOPN garante que o passado mês de outubro em termos de concursos de obras promovidos em Portugal é o pior mês desde maio de 2016″.

O setor da construção civil e obras públicas em Portugal registou uma travagem a fundo no passado mês de outubro.

Segundo a última análise de conjuntura da AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas, “em Outubro, os concursos de empreitadas de obras públicas promovidos registam um forte abrandamento, com o valor apurado neste mês, 102 milhões de euros, a situar-se 45,7% abaixo do mês anterior e em menos de metade do valor médio mensal do ano, 242 milhões”.

“Este é, inclusivamente, o pior mês desde maio de 2016”, alerta a AICCOPN, em documento a que o Jornal Económico teve acesso.

Mesmo assim, segundo esse documento, “em termos acumulados, até ao final de outubro, os concursos de empreitadas de obras públicas promovidos registam um crescimento homólogo de 80%, totalizando 2.421 milhões de euros”.

Quanto a contratos celebrados, a exemplo do verificado ao nível das promoções, o abrandamento do volume de contratos celebrados em outubro é muito expressivo, com o registo mensal, 81 milhões de euros, a situar-se 61,6% abaixo do apurado em setembro e 50,4% abaixo da média do ano, 163 milhões de euros”.

“Não obstante esta queda, o total de contratos celebrados e reportados nos primeiros dez meses do ano atingiu os 1.629 milhões de euros, ou seja, mantém uma variação positiva de 44% em termos homólogos”, relembra a AICCOPN.

A associação dos industriais da construção civil e obras públicas destaca que “os contratos celebrados no âmbito de concursos totalizam 927 milhões de euros, mais 55% em termos homólogos”.

A AICCOPN observa ainda que os contratos celebrados em resultado de ajustes diretos somam 600 milhões, 36% acima do valor registado em igual período de 2016.

Ler mais
Recomendadas

Reabilitação urbana desacelera mas mantém-se em terreno positivo

Após dois meses com variações homólogas negativas, o índice ‘carteira de encomendas’, que mede a opinião dos empresários quanto ao nível das obras em carteira, recupera em agosto, com um crescimento de 1,5% face ao apurado em agosto de 2018, sublinha o barómetro da reabilitação urbana da AICCOPN.

Efeito novo aeroporto: Licenças para construção disparam 778% em Alcochete

Os pedidos de licenciamento de construção subiram 8% na região da Área Metropolitana de Lisboa.

Custo de mão de obra faz aumentar o custo de construção de novas habitações

O preço dos materiais e o custo de mão de obra apresentaram variações positivas de 0,4% e 4,9%, face ao período homólogo.
Comentários