“Sinto-me desolado”. Trump elogia May após demissão de primeira-ministra

“Sinto-me desolado por Theresa. Aprecio-a enormemente”, declarou Trump no relvado da Casa Branca, antes de partir para um périplo que o levará ao Japão e, entre 03 e 05 de junho, ao Reino Unido.

REUTERS/Kevin Lamarque

O Presidente Donald Trump confessou sentir-se “desolado” pela primeira-ministra Theresa May, que hoje anunciou a sua demissão.

“Sinto-me desolado por Theresa. Aprecio-a enormemente”, declarou Trump no relvado da Casa Branca, antes de partir para um périplo que o levará ao Japão e, entre 03 e 05 de junho, ao Reino Unido.

“Ela trabalhou muito duro, ela é muito sólida”, acrescentou Trump.

No entanto, nos últimos meses o Presidente norte-americano não se coibiu de criticar a forma como May geriu o complicado dossiê de saída do Reino Unido da UE (‘Brexit’), e quando a dirigente britânica tentava estabelecer boas relações mútuas.

Theresa May precisou que se demitiria das funções de líder do Partido Conservador, e consequentemente do cargo de chefe do governo, em 07 de junho, exprimindo um “profundo lamento por não ter sido capaz de aplicar o ‘Brexit.

Desta forma, ainda ocupará Downing Street no decurso da visita de Estado de Trump a Londres, que se desloca à Europa no início de junho por ocasião do 75.º aniversário do desembarque na Normandia.

Ler mais
Relacionadas

Quem vai substituir Theresa May? Estes são os sete candidatos possíveis

As listas de potenciais candidatos à sucessão da ainda primeira-ministras são inúmeras e para todos os gostos. A única vantagem é que quase todas elas começam com o mesmo nome: Boris Johnson.

‘May Day’ puxa pelas bolsas da Europa. Lisboa não foi exceção

No Reino Unido, confirmou-se o cenário de demissão de Theresa May, que deixa o cargo de Primeira-ministra no dia 7 de junho.  O FTSE 100 subiu 0,65% para 7.277,73 pontos. Por cá o PSI 20 fechou a subir 0,78% para 5.097,28 euros impulsionado pelas ações da EDP; da Sonae; pela REN; pela Jerónimo Martins e pelo BCP.

Ações, moeda e ouro: como os mercados estão a reagir à demissão de May

Mercados reagem positivamente ao anúncio de demissão da primeira-ministra britânica, Theresa May. Tom moderado do discurso e perspetivas que uma nova liderança termine com a incerteza em torno do Brexit animam investidores, explicam analistas.

Demissão de Theresa May aumenta a incerteza sobre o Brexit, destaca Moody’s

A agência de notação financeira Moody’s diz que “a incerteza sobre o Brexit é claramente negativa” para a confiança do país, com impacto no crescimento económico do Reino Unido.
Recomendadas

Primeiro-ministro de Cabo Verde: “Não queremos criar modelo de turismo que aumente zonas de barracas”

Ulisses Correia e Silva disse que o governo cabo-verdiano está a investir 1,8 milhões de contos para dar qualidade e dignidade às zonas de barracas nas ilhas da Boavista e do Sal.

Mette Frederiksen é a cara do novo governo de coligação na Dinamarca

Partido Social-Democrata da Dinamarca anunciou ontem um acordo com três partidos do centro-esquerda para formar um governo minoritário, com um programa assente na ecologia e proteção social, mas também no controlo da imigração.

Nicolás Maduro promete ser ‘implacável’ com tentativa de golpe de Estado

“O que pode acontecer é uma revolução mais radical, uma revolução mais profunda”, disse o presidente da Venezuela.
Comentários