Síria: Casa Branca mantém retirada das suas tropas o “mais rápido possível”

As tropas norte-americanas na Síria devem regressar o “mais rápido possível” uma vez que a missão dos Estados Unidos “não mudou”, anunciou no domingo a Casa Branca.

Ler mais

“A missão dos EUA não mudou e o Presidente Donald Trump deixou claro que as tropas devem regressar o quanto antes”, disse a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, em comunicado.

O comunicado surgiu horas depois do Presidente francês afirmar que tinha convencido o homólogo dos Estados Unidos “a permanecer” na Síria, na sequência dos ataques dos Estados Unidos, da França e do Reino Unido na madrugada de sábado.

“Há dez dias, o Presidente Trump dizia que os Estados Unidos admitiam a hipótese de se descomprometerem com a Síria, mas convencemo-lo que era necessário permanecer”, declarou Emmanuel Macron.

No comunicado divulgado, a Casa Branca disse estar “determinada a esmagar completamente” o grupo extremista Estado Islâmico e a criar condições que “impeçam o seu regresso”.

“Além disso, esperamos que os nossos aliados e parceiros regionais assumam mais responsabilidade, tanto militar quanto financeira, de forma a garantir a região”, acrescentou.

Os Estados Unidos, a França e o Reino Unido realizaram no sábado uma série de ataques com mísseis contra alvos associados à produção de armamento químico na Síria, em resposta a um alegado ataque com armas químicas na cidade de Douma, Ghouta Oriental, por parte do governo de Bashar al-Assad.

A ofensiva consistiu em três ataques, com uma centena de mísseis, contra instalações utilizadas para produzir e armazenar armas químicas, informou o Pentágono.

O Presidente dos Estados Unidos justificou o ataque como uma resposta à “ação monstruosa” realizada pelo regime de Damasco contra a oposição.

Recomendadas

‘Make America Great Again’. Fábrica que produz boné de Trump tem 80% de latinos

O chapéu que Donald Trump disseminou pelo país é um ícone da presidência. A ‘Business Insider’ foi visitar a fábrica, onde trabalham dezenas de latinos.

Quem quer afastar Theresa May? Conservadores britânicos conspiram contra a própria primeira-ministra

Parte do partido quer a saída de Thera May mal o Brexit aconteça (em março de 2019). Um documento interno elenca os principais candidatos à sucessão, onde, em lugar de destaque, está o atual ministro para o Brexit, Dominic Raab.

Bolsonaro seria um “desastre” como presidente, diz a ‘The Economist’

Em reportagem de capa, a revista compara o candidato do PSL a Trump, nos Estados Unidos, e a Rodrigo Duterte, nas Filipinas, e diz que sua admiração por ditadores é “preocupante”.
Comentários