Só com o PS é possível manter o equilíbrio na governação – António Costa

De acordo com o primeiro-ministro, nos últimos três anos e meio, os compromissos assumidos “foram cumpridos, porque palavra dada tem sido sempre palavra honrada”.

O secretário-geral socialista encerrou hoje a campanha europeia do seu partido com um discurso em que defendeu que o atual “equilíbrio” governativo só é possível com o PS e que palavra dada “foi mesmo” palavra honrada.

No final do comício do PS, na Praça do Município, em Lisboa, alguns militantes socialistas começaram a gritar “vitória, vitória”, já depois de ter terminado o discurso de António Costa e de ter tocado o hino nacional.

António Costa, que ainda estava no palco, ouviu e reagiu imediatamente: “Calma, calma, as eleições [europeias] são só no domingo”, disse, tentando travar novamente euforias no seu eleitorado em relação às sondagens favoráveis ao PS.

Na sua intervenção, o líder socialista voltou a destacar a questão das consequências das eleições europeias para o plano nacional e para a continuidade do seu Governo.

“Não tenham dúvidas, só com o PS é possível manter este equilíbrio com determinação, só com o PS é possível manter esta governação no rumo certo, só com o PS não andaremos a governar à bolina, mas de acordo com o programa que apresentámos aos portugueses”, sustentou.

De acordo com o primeiro-ministro, nos últimos três anos e meio, os compromissos assumidos “foram cumpridos, porque palavra dada tem sido sempre palavra honrada”.

No plano europeu, António Costa voltou a defender a necessidade de uma frente europeia, desde o chefe do Governo grego, Alexis Tsipras – “um grande primeiro-ministro”-, até ao Presidente francês, Emmanuel Macron, ” que está na primeira linha do combate à extrema-direita”.

Ler mais
Relacionadas

Paulo Rangel pede voto bem cedo para impedir “legitimação” de Costa

Segundo Rangel, o que António Costa procura nas eleições europeias é tentar “um plebiscito à moda napoleónica ou cesarista” para conseguir a sua “legitimação” a nível nacional já que, disse, até hoje o primeiro-ministro “nunca foi capaz de ganhar uma eleição”.

“O PS não é um partido fiável”, acusa Rui Rio

O presidente do PSD disse “ser um gosto terminar a campanha no Porto”, de onde é natural, tal como o cabeça de lista do PSD, Paulo Rangel.

Eleições podem iniciar alteração do mapa político à esquerda em Portugal – Marisa Matias

Para Marisa Matias, “não importa fazer campanhas” se é para os candidatos se ouvirem uns aos outros e “não ouvir as pessoas e não falar daquilo” que é os leva até elas.

Jerónimo de Sousa desafia militantes a levar amigos e familiares a votar

Já o cabeça de lista europeu da CDU, João Ferreira, pediu “mais um esforço” até às eleições europeias de domingo, para fazer crescer a coligação e ajudar à resolução de vários problemas no país, como a degradação de equipamentos escolares, agricultores que desistem das suas explorações, pequenos e médios empresários “esmagados” pelos poderes económicos ou a valorização de salários.
Recomendadas

Brexit: Juncker recorda a Johnson que cabe ao Reino Unido apresentar propostas

O presidente Juncker sublinhou a permanente disponibilidade e abertura da Comissão para examinar se essas propostas correspondem aos objetivos do ‘backstop’”.

Primeiro-ministro mentiu à Rainha sobre suspensão do Parlamento? Boris Johnson diz “que não”

Depois do tribunal da Escócia ter acusado o primeiro-ministro de enganar a Rainha Isabel II de um“propósito impróprio de impedir o Parlamento”, Boris Johnson vem agora negar as acusações afirmando que o tribunal do Reino Unido está do seu lado.

Governo britânico com cenário catastrófico de Brexit sem acordo: falta de comida e medicamentos, aumento dos preços da luz, Gibraltar bloqueado

Falta de comida e medicamentos, aumento significativo dos preços, bloqueio de travessias no Canal da Mancha e protestos são algumas das previsões de “pior cenário possível” para um Brexit sem acordo.
Comentários