‘Sofagate’. Eurodeputados condenam forma como Von der Leyen foi tratada na Turquia

Durante uma visita à Turquia, o presidente do Conselho Europeu e o presidente turco sentaram-se nas cadeiras principais, enquanto que a presidente da Comissão Europeia, uma das duas mulheres mais poderosas da Europa, a par de Angela Merkel, foi relegada para um sofá secundário. “As mulheres merecem o mesmo reconhecimento que os seus colegas do sexo masculino”, dizem os eurodeputados do PPE.

Poucas semanas depois de se retirar da Convenção de Istambul sobre Prevenção e Combate à Violência contra as Mulheres, a Turquia voltou a ser criticada pela forma como trata as mulheres, desta vez em relação a uma das duas mulheres mais poderosas Europa, a par de Angela Merkel, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Durante a reunião na terça-feira entre von der Leyen, o presidente do Conselho Europeu Charles Michel e o Presidente turco Recep Erdoğan existiam apenas duas cadeiras principais disponíveis para os líderes, a par de dois sofás secundários.

No jogo das cadeiras, a presidente da Comissão Europeia atrasou-se em relação a Michel e Erdogan que depressa assumiram as cadeiras principais, deixando Von der Leyen confusa.

Uma foto divulgada posteriormente mostra Von der Leyen sentada num sofá a alguma distância de Michel e Erdoğan, com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia, Mevlüt Çavuşoğlu, sentado num sofá em frente à presidente da Comissão Europeia.

O sucedido desencadeou uma onda de condenação nas redes sociais onde foi criado o hashtag #SofaGate, partilhado por eurodeputados e jornalistas. O editor politico da EuroNews publicou na sua conta de Twitter um vídeo do momento.

O Grupo do PPE, o maior grupo político do Parlamento, da qual von der Leyen é membro, considerou que “alguém deveria ter vergonha pela falta de assento adequado para von der Leyen no palácio de Erdoğan”, acrescentando que “a UE deu abertura para um diálogo, mas mantemo-nos firmes quanto aos nossos valores. As mulheres merecem o mesmo reconhecimento que os seus colegas do sexo masculino”.

As criticas dirigiram-se maioritariamente a Erdogan, mas Charles Michel também não escapou por não ter cedido o lugar a Von der Leyen. A deputada holandesa do Renew Europe, Sophie in ‘t Veld, divulgou fotos de reuniões anteriores entre Erdoğan e os ex-presidentes do Conselho e da Comissão Donald Tusk e Jean-Claude Juncker – principalmente líderes do sexo masculino da UE – onde os três estavam sentados juntos. “Não foi uma coincidência, foi de propósito. Por que Charles Michel ficou em silêncio?”, questionou-se.

Por sua vez, o vice-presidente da Subcomissão de Direitos Humanos do Parlamento europeu, perguntou como Michel pode aceitar “este tratamento infligido a von der Leyen”.

 

Ler mais
Relacionadas

Von de Leyen e Charles Michel visitam Turquia em abril

A viagem deixou surpresos os analistas, que consideravam que o assunto estava no plano do Alto Comissário Josep Borrell e não de um patamar superior. A questão dos refugiados está no centro das atenções.
Recomendadas

Joe Biden prepara novos impostos sobre o capital

O também chamado imposto sobre os ricos pode colocar sérios riscos sobre os investimentos dos norte-americanos. Mal se soube do caso, não confirmado, Wall Street entrou em stress.

Israel: Netanyahu tenta apoios para a eleição direta do primeiro-ministro

O ainda primeiro-ministro não desiste de ‘inventar’ cenários para se manter no poder. Desta vez, está a tentar encontrar apoio para a eleição direta do primeiro-ministro.

Jair Bolsonaro acredita que o Brasil vai alcançar neutralidade carbónica em 2050

Esta é a meta mais ambiciosa estabelecida pelo líder de extrema direita que parece ter mudado a sua posição relativamente à crise climática.
Comentários