SoftBank contrata primeira mulher para gerir fundo de investimentos de 100 mil milhões

Kirthiga Reddy, antiga executiva do Facebook India, foi contratada pela japonesa SoftBank para integrar na equipa de Vising Fund, um dos maiores fundos de investimentos tecnológicos do mundo. É a primeira mulher a integrar esta equipa.

Kirthiga Reddy, antiga executiva do Facebook India, foi contratada pela japonesa SoftBank para integrar na equipa de Vising Fund, um dos maiores fundos de investimentos tecnológicos do mundo. Este fundo, que possui cerca de 100 mil milhões de doláres destinados a investir em startups, tal como a Uber Technologies, WeWork e a chinesa Didi Chuxing, é gerido por um grupo limitado de investidores de risco, fazendo de Reddy a primeira mulher na equipa.

A SoftBank realçou que pretende contratar mais investidores do sexo feminino, particularmente nos níveis de maior cargo, e que está “ativamente a recrutar”, avança a agência ”Bloomberg”.

Numa entrevista em setembro, Masayoshi Son, CEO da SoftBank, foi questionado sobre o facto de todos os parceiros do Vision Fund serem homens, e explicou que “não tem nenhum tipo de preconceito”. O dirigente do Vision Fund Rajeev Misra tem vindo a desenvolver um esforço para contratar mais mulheres, incluindo o nível do sócio-gerente.

A gigante das telecomunicações de Tóquio acrescentou que Kirthiga Reddy pode tornar-no o que chama de ”parceira de investimento”, dependendo em parte do seu desejo de dedicar 100% de seu tempo a essa atividade.

Relacionadas

Softbank determina oferta pública inicial em 21 mil milhões de dólares e não define intervalo de cotação

Sem ter determinado também um preço de intervalo para a cotação – é a primeira empresa japonesa a fazê-lo -, o fundador Masayoshi Sono acredita que todas as ações do Softbank serão vendidas.

Jack Ma, como o milionário se tornou membro do partido comunista chinês

A adesão foi revelada pelo Diário do Povo, órgão oficial do partido, num texto que elogia as pessoas que contribuem para o desenvolvimento da China.

A portuguesa que conquistou as maiores empresas do mundo

Daniela Braga fundou em Seattle, nos Estados Unidos, a DefinedCrowd, uma startup especializada em dados para Inteligência Artificial.
Recomendadas

CGD, Santander Totta, BPI e BCP fecham 2018 com menos 1.071 trabalhadores e 254 balcões

Os quatro bancos que já apresentaram contas e dados relativos a 2018 passaram de 27.221 trabalhadores em 2017 para 26.150 em 2018.

Bancos que apresentaram contas de 2018 aumentaram lucros em mais de 1.100 milhões

Os bancos em causa são a Caixa Geral de Depósitos (CGD), o Santander Totta, o BPI e o BCP. De fora destas contas ficam o Banco Montepio e o Novo Banco, que ainda não apresentaram contas relativas ao ano passado.

Maiores bancos desfizeram-se de pelo menos 5.719 milhões em crédito malparado em 2018

Os bancos alienam carteiras de crédito malparado para melhorarem os seus balanços e também cumprirem as exigências de reguladores e supervisores bancários, que consideram que estes ativos ‘tóxicos’ são a principal fragilidade do sistema bancário português.
Comentários