SONAE procura ‘startups’ de tecnologia para retalho

Até ao final de outubro todas as candidaturas serão analisadas, escolhidos os projetos a desenvolver na Sonae e a sua implementação ocorrerá ainda este ano, através da BIT, a área de sistemas de informação da Sonae para o retalho.

Os negócios de retalho da Sonae vão abrir as portas às ‘startups’ nacionais e internacionais, permitindo-lhes testar soluções em ambiente real.
O grupo nacional de distribuição lançou a iniciativa “Disrupt Retail – Call for Technology”, que tem como objetivo permitir às ‘startups’ nacionais e internacionais testarem em ambiente real as soluções que desenvolvem.
“Esta iniciativa enquadra-se na política de inovação aberta e de cooperação tecnológica da Sonae, e visa fomentar novas soluções tecnológicas que sejam disruptivas e criadoras de valor acrescentado para os clientes das insígnias de retalho”, explica um comunicado da Sonae.
Por seu turno, João Gunther Amaral, CIO (administrador com o pelouro da informação) da Sonae MC, afirma que a empresa, “através desta iniciativa, procura promover a sincronização de ritmos de geração de valor entre os ecossistemas corporativos e ‘startups'”.
“Esta sincronização é catalisada pelo cruzamento das propostas de valor dos mais diversos empreendedores com oportunidades existentes ao longo de toda a cadeia de valor do retalho”, sublinha aquele responsável.
A primeira edição da iniciativa “Disrupt Retail – Call for Technology by Sonae” vai aceitar candidaturas até ao próximo dia 15 de outubro, devendo os interessados fazer o seu registo em https://disruptretail.sonae.pt/.
Até ao final de outubro todas as candidaturas serão analisadas, escolhidos os projetos a desenvolver na Sonae e a sua implementação ocorrerá ainda este ano, através da BIT, a área de sistemas de informação da Sonae para o retalho.
As ‘startups’ participantes beneficiarão do acompanhamento por especialistas Sonae em tecnologia e retalho, da possibilidade de utilização de um ecossistema com mais de três milhões de clientes e mais de mil lojas, da validação de produto pelos clientes e ‘stakeholders’ da Sonae.
A iniciativa dá também acesso a possíveis investimentos nos projetos pela unidade de gestão de investimento Sonae IM, onde se inclui a Bright Pixel.
“A Sonae procura projetos nas áreas de otimização de ‘merchandising’, operações de loja e armazéns, ‘engagement’ com clientes, logística e experiência de compra (‘online’ e ‘offline’), mas pode acolher projetos noutras áreas que sejam disruptivos para o sector do retalho”, adianta o referido comunicado.
Entre as tecnologias valorizadas na iniciativa “Disrupt Retail – Call for Technology by Sonae” estão a inteligência artificial, realidade virtual e aumentada, ‘Internet of Things’, robótica, assistentes virtuais e ‘blockchain’, ou qualquer outra que permita apresentar soluções inovadoras, acrescenta o documento em causa.
Além das ‘startups’, o programa está também acessível a centros de investigação e desenvolvimento, bem como a empresas e agências que apresentem soluções suficientemente maduras para serem testadas.
“A cooperação entre empresas e ‘startups’ é crucial para a inovação. Por isso, na Sonae temos procurado interagir cada vez mais com as diferentes comunidades das mais variadas formas, desde a mentoria, passando pelo co-desenvolvimento de produto até à incubação de ideias e projetos. Hoje, temos mais de uma centena de parceiros em todo o mundo com quem trabalhamos para revolucionar os setores onde estamos presentes em benefício dos nossos clientes, e esperamos fazê-lo também com os participantes no ‘Disrupt Retail – Call for Technology by Sonae’, que terão na Sonae o parceiro ideal para ajudar no seu sucesso”, conclui João Gunther Amaral.
Recomendadas

“Crescimento da Mercadona virá de Portugal”, assume presidente do grupo

O líder da distribuição em Espanha está a atingir o limite máximo de lojas no país vizinho e optou por Portugal para ser a primeira experiência de internacionalização e para continuar a expandir-se.

Cash Express quer reforçar rede no Algarve a partir do êxito de Portimão

A primeira loja desta rede em Portugal, aberta em Portimão, apresenta um crescimento significativo com uma faturação na ordem de um milhão de euros.

Sonae pretende colocar 25% do negócio do retalho em bolsa

A IPO será composta por uma oferta pública a investidores qualificados e não qualificados em Portugal, bem como uma oferta particular internacional a investidores institucionais, anunciou a retalhista.
Comentários